Pesquisar

Hipertrofia Muscular: o guia completo para ter melhores resultados!

A hipertrofia muscular é um processo não apenas de ordem estética, mas também adaptativo.

Veja neste artigo um guia completo com 16 GRANDES DICAS para alcançar a hipertrofia muscular, que farão diferença em sua vida a partir de hoje.

Tem dicas de dieta, treino e ao final, um vídeo com estratégias para ganhar massa muscular de forma rápida e permanente! Uma ótima leitura!

Hipertrofia muscular - treino e dieta


PUBLICIDADE

Muito se fala de hipertrofia muscular, mas muitas vezes de forma errônea e sem levar em conta os diferentes aspectos envolvidos neste processo.

Muito mais do que apenas representar um aumento do tamanho dos músculos, a hipertrofia é um processo complexo, envolvido por componentes de treino, descanso, hormônios, dieta e genética.

Para que você possa ter mais clareza deste processo, criamos este guia completo da hipertrofia muscular, com diferentes abordagens!

Antes de falar sobre exercícios, dieta e outros fatores envolvidos, precisamos entender que existem um processo adaptativo, que será a base para a hipertrofia muscular!

Veja agora como acontece a hipertrofia muscular!

Índice – O que você irá ver nesse artigo sobre o hipertrofia:

Hipertrofia muscular, O que é? Entenda este processo!

O que é?
Afinal, o que é e como acontece a hipertrofia?

Como ocorre o aumento no tamanho dos músculos? Nosso corpo é totalmente adaptável ao ambiente e essa característica é que fez nossa espécie povoar diferentes e inóspitas regiões.

Para que ocorra um processo adaptativo, precisamos de estímulos externos e um cenário propício a adaptação.

Falando especificamente da hipertrofia muscular, existe um processo, baseado em estímulo-recuperação, para que ela ocorra.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Basicamente, o treino de musculação bem aplicado promove os estímulos que quebra a homeostase de nosso corpo. Esta homeostase representa um equilíbrio.

Caso tenhamos uma alimentação adequada, com oferta dos nutrientes necessários (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais) e um período de descanso, os músculos se adaptam a este estímulo, através de um processo de aumento do tamanho das células musculares.

O fenômeno da supercompensação, apresentado neste artigo (Entenda o fenômeno da supercompensação), representa muito bem este processo.

Primeiramente, estoques de substratos e toda a estrutura muscular são desgastados com o treino.

Se houver um correto descanso e uma alimentação adequada, o corpo irá não apenas reorganizar seu metabolismo, repondo o que foi gasto, mas sim aumentando os níveis destes componentes.

Neste sentido, da próxima vez que o corpo for novamente colocado em uma situação de um estímulo ao qual não está adaptado, ele estará mais apto.

Esse fenômeno é facilmente visto no início dos treinos, quando a supercompensação é mais intensa.

Quanto mais bem treinado for o indivíduo, mais difícil será de termos melhores resultados em termos de supercompensação.

Não que seja impossível obter ganhos em pessoas bem treinadas, mas estes são mais lentos, demorados e complexos.

Mas independentemente do caso, para que ocorra a hipertrofia muscular, precisamos de estímulos adequados e cada vez mais crescentes.

Leitura importante => Qual a diferença entre catabolismo e anabolismo?

Veja agora os pontos fundamentais para ter sucesso em seu treino de hipertrofia muscular!

Elementos fundamentais que não pode deixar de lado!

A hipertrofia muscular tem um tripé em que ela se baseia: treino, descanso e dieta.

Se um destes 3 elementos não estiver alinhado, ela não ocorre da forma adequada.

Porém, estes 3 elementos são bastante complexos e mudam de acordo com a individualidade de cada um.

Por isso, vou elencar 5 aspectos fundamentais para que ocorra a hipertrofia muscular:

1 – Periodização:

Em determinados momentos, chego a ser repetitivo com a periodização.

Mas faço isso porque não há nenhuma forma mais adequada para controlar as cargas de treinamento, para que os estímulos sejam crescentes e possamos manter o processo adaptativo de forma segura e eficiente.

Além disso, com uma periodização bem estruturada, será possível prever de que forma os melhores resultados serão alcançados.

Mas com certeza, a principal vantagem da periodização é justamente o controle das cargas, para que estas sejam aplicadas de forma inteligente e com uma progressão adequada.

2 – Estrutura dos treinos:

Para que tenhamos melhores resultados, precisamos que o treino seja estruturado de forma correta. Aqui, não falo basicamente de periodização, mas sim da escolha adequada dos exercícios.

Não existe uma regra geral, pois cada pessoa apresenta individualidades que fazem com que determinados movimentos sejam mais ou menos indicados. Além disso, temos ainda a questão dos movimentos multi e mono articulares, que precisa ser bem pensada dentro da estrutura de treino.

3 – Divisão dos treinos:

Além dos aspectos citados acima, ainda temos a organização que iremos usar para dividir (ou não) os diferentes grupos musculares. Aqui, um conhecimento apurado do treinador é fundamental, para que ele possa eleger as combinações mais adequadas, para integrar a intensidade e o volume de forma inteligente e conseguir potencializar os resultados.

4 – Dieta adequada às suas necessidades:

Nada de ficar copiando dieta de seu colega ou conhecido. Dieta para a hipertrofia precisa ser específica, dentro de suas necessidades e que contemple cada fase da periodização.

Todos nós temos necessidades específicas e precisamos de uma boa estrutura dietética para ter um processo hipertrófico melhorado.

Além disso, uma boa dieta é pensada também sob a perspectiva hormonal, já que os alimentos interagem diretamente com os hormônios.

Além disso, é preciso que a dieta seja pensada em sua rotina, na forma como você irá mantê-la. De nada adianta uma dieta que não é seguida!

5 – Descanso adequado:

Nada melhor para a supercompensação do que uma boa noite de sono.

Durante o sono, há um complexo sistema hormonal e metabólico que fará com que você tenha uma melhor recuperação de todos os elementos e com isso, consiga mais hipertrofia muscular!

Os principais hormônios responsáveis pelo anabolismo a testosterona e o GH (hormônio do crescimento), são produzidos durante o sono.

Caso queira ver nossas dicas de como aumentar a produção de GH de forma natural e ter melhores ganhos de hipertrofia, recomendamos a leitura do nosso guia do hormônio GH.

Estes são alguns elementos básicos da hipertrofia muscular!

Para que este texto não fique apenas no campo teórico, vou dar algumas dicas práticas de organização de treino, dieta e descanso para conseguir a hipertrofia!

Hipertrofia muscular, a importância da dieta e do descanso

Músculos hipertrofiados

6 – Proteínas de alto valor biológico

Para que consigamos bons resultados em termos de hipertrofia muscular, precisamos de uma dieta equilibrada e de um descanso adequado.

Falando inicialmente da dieta existem diferentes situações que devem ser trabalhadas.

A primeira delas é a ingestão de uma boa quantidade de proteínas de alto valor biológico.

As proteínas são formadas por aminoácidos e estes, são responsáveis pela reconstrução muscular.

7 – Sem dieta sem resultados!

É impossível conseguir bons resultados em termos de hipertrofia muscular, sem uma ingestão adequada de alimentos ricos em proteínas, é impossível ter bons resultados.

As principais fontes de proteína são os alimentos de origem animal, como carne, leite e derivados e ovos.

Existem opções vegetais com boas quantidades de proteína, mas o seu valor biológico é reduzido, se comparado as de origem animal.

Também não adianta tomar apenas suplementos proteicos como whey para suprir uma dieta deficiente, esses suplementos ajudam sim, mas são um complemento.

A dieta ainda é o fator principal para ter resultados consistentes.

8 – Quantidade de proteínas

A quantidade de proteínas a ser ingerida para obter bons resultados em termos de hipertrofia muscular é bastante variada.

No geral, indica-se de 1 a 1,5 gramas por quilo corporal para iniciantes e 1,5 a 3 gramas para pessoas bem treinadas.

Mas é lógico que existem uma série de situações a serem avaliadas nestes casos.

9 – Proteínas apenas não basta!

Engana-se quem pensa que para a hipertrofia muscular basta a boa ingestão de proteínas!

Carboidratos e gorduras são fundamentais para a boa recuperação dos exercícios resistidos.

Aqui, vale destacar que a qualidade também é um aspecto fundamental!

Os ácidos graxos precisam ser de qualidade, para que possam cumprir sua função.

Os carboidratos, devem ser de preferencia de baixa glicemia, para que não haja um aumento do percentual de gordura e haja um processo de supercompensação mais adequado.

10 – Não esqueça das vitaminas

Além disso, temos as vitaminas e minerais, que são os chamados nutrientes reguladores.

Eles devem ser ingeridos de forma consistente e com alta qualidade nutricional.

Para isso, é preciso que sejam inseridos na dieta frutas, verduras e legumes.

Como estes 3 grupos de alimentos contém também proteínas, carboidratos e gorduras, é muito importante que sua utilização seja pensada em termos nutricionais e com equilíbrio.

11 – Dieta específica

Independentemente do caso, temos a necessidade de uma dieta específica, dentro de nossas individualidades.

Nada de sair copiando dieta de qualquer um! Seu corpo é único e precisa de uma abordagem individual.

Para isso, consulte um bom nutricionista!

Leia também: Dieta para ganhar massa muscular, é possível gastar pouco?

12 – O descanso é outro ponto fundamental

Em raros casos, treinar todos os dias é indicado. Se você não for atleta e quer apenas resultados funcionais e estéticos.

Geralmente usamos de 5 a 6 treinos por semana e em alguns casos nem isso.

Ter pelo menos um dia de descanso total, sem treino, é fundamental para que ocorra a supercompensação.

Além disso, as 8 horas de sono também são altamente indicadas para termos melhores resultados.

Mas e o treino, como ele deve ser?

Treino para hipertrofia muscular, aspectos práticos

Hipertrofia feminina
Para mulheres que também buscam maximizar os resultados, temos um artigo sobre hipertrofia feminina!

Antes de continuarmos, um recado importante para as mulheres: Preparamos um artigo completo e específico para vocês!

Com dicas essenciais para se conseguir grandes resultados, o tema principal é hipertrofia muscular feminina.

Veja baixo:

Leitura importante para as mulheres => Hipertrofia feminina – 13 dicas para ter melhores resultados

As dicas a seguir continuam servindo para homens e mulheres!

Continuando…Como o treino para hipertrofia muscular é um tema amplo e envolve uma série de fatores, temos que ter uma abordagem generalista para tratar do assunto.

Para ficar mais didático, vou separar alguns elementos práticos do treino de hipertrofia, dividido por grupamentos musculares.

Para isso, vou usar as divisões de treino mais comuns.

13 – Peito e tríceps:

Esta é uma divisão comum, pelo fato de o tríceps ser sinergista em grande parte dos movimentos usados no treino de peito.

Nos movimentos de empurrar, como o supino e as barras paralelas, temos uma importante função das escápulas, para que a ação seja concentrada no peitoral maior, principal músculo deste grupamento.

Nas barras paralelas, temos que ter um movimento escapular completo.

No supino, independentemente da variação, o ideal é manter as escápulas em neutro ou em adução, para que o peitoral maior não entre em insuficiência ativa e haja uma maior participação deste músculo.

Além disso, temos que sempre buscar uma intensidade mais elevada e priorizar os movimentos multiarticulares.

Em relação ao treino de tríceps, se ele for feito após o treino de peito, não necessitamos de um elevado número de séries, por causa da fadiga iniciada pelo treino de peitoral.

Geralmente, usamos de 2 a 3 exercícios para ter um bom resultado no treino de tríceps.

14 – Dorsais e bíceps:

Da mesma forma que o exemplo anterior, o bíceps é sinergista nos movimentos de dorsais.

Assim, esta combinação aumenta a intensidade e os resultados do treino de hipertrofia.

No treino de costas, é importante usar diferentes movimentos, com variações de pegadas, cargas e cadências.

Principalmente no caso dos iniciantes, é importante usar movimentos mais lentos, para uma melhora da consciência corporal.

No treino de bíceps, vale a mesma orientação do de tríceps. De 2 a 3 exercícios, com intensidade mais elevada!

15 – Abdominais:

O treino de abdominais não deve ser focado apenas em hipertrofia destes músculos, mas sim em um correto fortalecimento de todo o Core e na estabilização destes movimentos.

Para isso, é muito importante utilizarmos movimentos para a região abdominal, oblíqua e lombar.

Isso fará com que haja uma estabilização dos movimentos do corpo todo.

E se você está pensando em fazer milhares de abdominais para perder a barriga, saiba que estará perdendo tempo!

Para perder barriga você precisa de treinos intensos e de uma dieta equilibrada. Isso fará seu percentual de gordura diminuir e fazer sua barriga diminuir.

16 -Pernas, glúteos e panturrilhas:

Aqui, temos muitos aspectos individuais. Mas para dar uma pincelada superficial, o ideal é integrar o treino de coxas com o de glúteos, já que os movimentos multiarticulares são mais indicados para a hipertrofia destes músculos.

E os movimentos multiarticulares, trazem um trabalho conjunto de glúteos, quadríceps e isquiotibiais (dependendo dos fatores envolvidos este trabalho é maior ou menor em cada grupamento).

Além disso, o treino de panturrilhas também pode ser integrado a este, pelos mesmos motivos.

Leia também: Hipertrofia: 5 erros que podem estar comprometendo seu treino

Tratar da hipertrofia muscular é um tema complexo, amplo e cheio de especificidades.

No geral, você pode ter um parâmetro amplo de como ela acontece e de que forma alcança-la, mas aqui, não levamos em conta diferentes aspectos, que dizem respeito as suas individualidades.

Vídeo completo onde o grande Leandro Twin tirá maiores dúvidas sobre treino e dieta para hipertrofia muscular:

Leitura importante => 14 dicas na dieta para ganhar massa muscular

Para ter um bom resultado, o ideal é contar com a ajuda de um bom treinador, que irá montar uma periodização adequada às suas necessidades e saberá corrigir os erros que inevitavelmente aparecerão, além de um bom nutricionista, que saberá prescrever a dieta mais adequada.

Não confie seu corpo a pessoas sem a devida capacitação!

Gostou desse artigo sobre como melhorar os resultados de hipertrofia muscular?

Deixe seu comentário logo abaixo e ajude seus amigos levando essas informações importantes para eles, compartilhe!

Um grande abraço e Bons treinos!

Hipertrofia Muscular: o guia completo para ter melhores resultados!
4.7 (93.33%) 36 votes

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. CREF: 22643-G/SC

17
Deixe um comentário

avatar
14 Tópicos de comentários
3 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais em alta
17 Autores de comentários
Everton RibeiroIgor munizkamyllaJuvenal Martins NetoThiago Autores de comentários recentes
  Inscrever-se  
Mais recente Mais antigo Mais votado
Notificação de
Igor muniz
Visitante
Igor muniz

Queria saber cadê o treino de ombro?

Caio costa Guimarães
Visitante
Caio costa Guimarães

Eu malho já algum tempo, e percebo que quando eu malho pesado com várias repetições eu fico com o músculo bem avantajados mais quando eu passo de dois a três dias sem malhar os músculos diminui, então eu vejo que isso é um efeito sanfona, por que eles não permanecem do jeito que eu saiu da academia???

Everton Ribeiro
Visitante
Everton Ribeiro

Bom dia Sandro Lenzi! Eu consigo ganhar peso com calistenia?!

kamylla
Visitante
kamylla

dá pra malhar até em casa seguindo essas dicas!

Barbara Canabrava
Visitante
Barbara Canabrava

Amo todas as dicas e todos os dias me atualizo com vcs!
Muito obrigada!!!