Página Inicial » Saúde » Musculação aplicada a melhora dos desvios posturais

Musculação aplicada a melhora dos desvios posturais

A prática consistente e duradoura de musculação precisa ser pautada em quesitos de funcionalidade. Neste sentido, os ajustes posturais são fundamentais para que você possa obter bons resultados!

musculação aplicada a melhora dos desvios posturais

Musculação já não é mais considerada uma prática apenas estética há muito tempo. Quem acompanha meus textos aqui no Treino Mestre, sabe que já mostrei inúmeras situações onde a musculação transcende os conceitos de hipertrofia ou de emagrecimento. A questão dos ajustes posturais que a musculação pode trazer é um destes temas!

Para isso, será necessário que você entenda que um treino de musculação tem que ser pensado no contexto global, com foco não apenas em uma ou outra característica. Mesmo que seu objetivo seja apenas estético, você precisará ter cuidado com questões posturais em seu treino. Seja para a execução dos movimentos, seja para a correção de algumas anormalidades. Mas antes de falarmos mais especificamente sobre as maneiras mais indicadas para usar a musculação na melhora dos desvios posturais, temos que entender o que são estes!

Desvios posturais, entendendo o conceito!

De uma maneira geral, nossa postura tem como base a coluna vertebral, que interfere diretamente em todos os outros segmentos de nosso corpo. Neste sentido, quando pensamos em desvios posturais, o primeiro ponto a ser avaliado é a coluna. Isso porque, os desvios em outros segmentos, como quadril ou cintura escapular, são geralmente oriundos de desvios que vem da coluna vertebral.

Neste artigo (Como manter a sua coluna saudável fazendo musculação?) já mencionamos algumas maneiras de manter a coluna vertebral sadia praticando musculação. Porém, em grande parte dos casos, as pessoas já apresentam problemas posturais. Neste sentido, a melhora destes desvios posturais é   muito importante.

Nossa coluna vertebral é composta por algumas curvaturas, que assim são, para que haja melhor absorção dos impactos que o corpo recebe constantemente. Portanto, a manutenção destas curvaturas, que são uma adaptação de nossa espécie, devem sempre ser mantidas nos exercícios (com algumas exceções).

Estas curvaturas são:

1. Lordose cervical: é uma curvatura é direcionada para a região distal do corpo.

2. Cifose dorsal: nesta curvatura, a coluna é projetada para a região medial do corpo.

3. Lordose lombar: também é uma curvatura direcionada para a região medial do corpo;

Estas curvaturas são naturais e devem ser mantidas durante a execução dos movimentos da musculação. Acontece que em dados casos, temos processos patológicos nestas mesmas curvaturas. Existem diversos desvios que podem acontecer em nossa postura, mas no geral temos:

– Hipercifose e hiperlordose: quando estas curvaturas são mais acentuadas do que o normal;

– Escoliose: quando a coluna se torna desviada, tomando o formato de um S.

Em grande parte, os demais desalinhamentos podem ser oriundos deste tipo de desvio. Existem sim desvios em quadril, joelho e tornozelo que não são oriundos da coluna. Mas estes precisam de um tratamento específico!

No caso dos desvios posturais acima citados, o ideal é antes de qualquer coisa, procurar auxilio de um fisioterapeuta ou ortopedista. Estes profissionais poderão verificar a questão postural e prescrever um bom tratamento.

Educadores físicos também podem realizar uma boa avaliação postural, mas casos mais acentuados precisam de tratamento fisioterapeutico ou ortopédico.

Mas de que maneira a musculação pode auxiliar na melhora destes desvios posturais? É o que vou mostrar agora!

Como a musculação melhora os desvios posturais?

Após o diagnóstico de qual o tipo de desvio postural que a pessoa possui, é hora de fortalecer o que está enfraquecido e melhorar a flexibilidade do que está rígido demais. Como os casos que se enquadram neste perfil são muitos, vou mostrar algumas situações onde a musculação pode ser uma auxiliar na melhora da postura.

Um caso muito comum é o de pessoas que apresentam uma hipercifose dorsal. Uma das causas para este quadro pode ser o fortalecimento desproporcional dos músculos desta região. Por exemplo, alguém que tem a porção clavicular do peitoral maior muito fortalecida, sem a devida proporção em músculos como o trapézio, pode desenvolver este quadro. Isso acontece por que neste caso, o peitoral maior “puxa” os ombros para frente, gerando a hipercifose. Neste caso, o tratamento deve ser feito com fortalecimento dos músculos dorsais e melhora da flexibilidade do peitoral maior.

No caso da lordose, o primeiro passo é identificar qual dos lados está “puxando” a coluna. Depois de verificar isso, o trabalho deve ser focado em fortalecer mais o lado enfraquecido e melhorar a flexibilidade do lado mais rígido.

Aqui parece tudo fácil, mas na prática isso exige um amplo conhecimento das linhas anatômicas de nosso corpo. O profissional mais habilitado para corrigir este tipo de desvio é o fisioterapeuta. Porém, o educador físico pode trabalhar em conjunto, para potencializar ainda mais os resultados.

Além disso, existem outros desvios que precisam ser corrigidos com a prática de fisioterapia.

Mas o que quero chamar a atenção não é para os métodos de tratamento, mas sim para uma característica comum a praticamente todos os tratamentos não invasivos. Todos eles se baseiam em duas coisas:

– Fortalecimento específico;

– Melhora da flexibilidade;

Partindo deste pressuposto, se tivermos um trabalho de prevenção que faça exatamente isso, as chances de desenvolvermos desvios posturais é muito menor. É lógico que existem fatores anatômicos e principalmente, rotineiros, que acabam prejudicando a postura (sendo que a maneira como mantemos a postura durante o dia a dia é que pode ser a causa para que determinados músculos fiquem mais rígidos do que outros).

Na execução dos movimentos da musculação temos outro ponto importante. Sempre devemos fazer com que os movimentos sejam o mais natural possível. Por exemplo, neste artigo mostramos alguns processos para a reaprendizagem do agachamento (Agachamento, processo educativo para melhorar a execução). O mesmo vale para qualquer outro movimento, que precisa estar adaptado as linhas naturais de cada articulação.

Neste sentido, muitas execuções “mirabolantes” se tornam altamente lesivas e podem provocar sérios desvios posturais. Opte sempre pelo básico, pois existem outras inúmeras variáveis envolvidas em um treino de musculação. A execução não é uma maneira de modificar a intensidade, pois ela deve ser sempre o mais eficiente possível.

O que fica claro é que a musculação é um importante componente na manutenção das linhas posturais sadias, desde que ela seja executada com o devido controle e qualidade. Para isso, sempre procure um profissional capacitado e atualizado para te ajudar! Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. CREF: 22643-G/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend