Página Inicial » Crossfit » Crossfit ou musculação? Qual escolher para a hipertrofia?

Crossfit ou musculação? Qual escolher para a hipertrofia?

Com o crescimento enorme que o Crossfit teve nos últimos tempos, surgiu com força a dúvida sobre qual o melhor método para a hipertrofia. Mas afinal, Crossfit ou musculação, qual o melhor para a hipertrofia?

crossfit ou musculação

Os métodos de treinamento, bem como diferentes modalidades, sempre foram tema central de muitas discussões. As comparações sobre “qual é o melhor”, sempre são longas e raramente temos uma resposta pronta. Isso por que o fato de ser melhor, envolve uma série de variáveis. Se pegarmos o caso da escolha entre Crossfit ou musculação, temos questões ainda mais complexas.

Durante muito tempo, o treino de hipertrofia sempre era exclusividade da musculação. Não havia a hipótese de um profissional te indicar outro método para a hipertrofia.

Porém, nos últimos tempos, podemos ver que há uma grande procura pelo Crossfit, como substituto da musculação para este objetivo.

Será que o efeito é o mesmo? Podemos substituir a musculação pelo Crossfit? Tudo depende de uma série de questões. Mas para ficar mais claro, temos antes de qualquer coisa, entender no que se baseia o Crossfit enquanto modalidade.

Crossfit ou musculação, entendendo os diferentes métodos de treinamento

Se você não conhece o Crossfit, pode ver neste artigo (Crossfit, modismo ou solução?) uma explicação mais aprofundada sobre ele. De forma geral, se formos nos basear no Crossfit como método de trabalho, temos que elencar algumas características:

– Elevado número de séries e repetições de exercícios;

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

– Presença constante de exercícios amplos, com várias articulações envolvidas;

– Exercícios de LPO muito utilizados;

– Movimentos complexos e que precisam ser muito treinados;

É lógico que o Crossfit tem questões ligadas a individualidade de cada um. Existem movimentos altamente complexos, como os do LPO, que precisam ser aprendidos de forma natural, para então, usarmos mais cargas.

O que quero mostrar aqui, é que o Crossfit tem em sua estrutura, elementos que precisam ser destacados para entendermos esta questão.

A primeira delas é o número de repetições. No geral, as repetições no Crossfit são muitas, da mesma forma que os movimentos envolvem grandes estruturas musculares. Muitas vezes, há a participação de membros superiores e inferiores no mesmo movimento.

E para a hipertrofia, isso é efetivo?

Crossfit e hipertrofia, o princípio da especificidade

Dentro do treinamento físico, existe um princípio que é fundamental, o da especificidade. De acordo com o seu objetivo e o que você quer alcançar, devemos encontrar o melhor método de treinamento para atingi-lo.

Neste caso, temos que entrar na essência do Crossfit. Ele não é um método que foi criado para ser usado diretamente para a hipertrofia. Ela se torna uma consequência indireta. Sua estrutura metodológica foi pensada para ser mais generalista, mais funcional.

Não há movimentos isolados, usados para aumentar o volume muscular em determinadas regiões. Da mesma maneira, não há uma estrutura para alternarmos diferentes tipos de estímulos, visando a hipertrofia. Já escrevi sobre isso neste artigo sobre estímulos tensionais e metabólicos (Estímulos tensionais e metabólicos, entenda as diferenças).

Desta maneira, o Crossfit não foi criado, pensado e melhorado, para o objetivo específico de hipertrofia. Mas se formos avaliar a musculação, ela também tem aplicações para outros objetivos, não é?

Pois bem, este ponto deixa claro o quanto esta questão do que é melhor ou pior, é complexa. Na verdade, não teremos uma resposta pronta para esta questão, apenas alguns elementos para analisá-las.

Por isso, vamos agora pensar de forma ampla e não apenas sobre métodos. O que você precisa para gerar hipertrofia muscular?

O que um método precisa para gerar hipertrofia muscular?

Vou tentar resumir um processo altamente complexo. A hipertrofia é um processo adaptativo. Ou seja, temos um estímulo, um período de recuperação, um cenário ideal e com isso, ocorre uma adaptação. As células musculares aumentam seu tamanho.

Desta maneira, o método usado precisa gerar microlesões teciduais, que são oriundas de contrações musculares, em um determinado grau de intensidade e volume.

Neste caso, cada tipo de estímulo gera uma resposta diferente. Depois que as microlesões teciduais são geradas, temos um processo de recuperação das mesmas, onde o descanso e a dieta, darão os subsídios para que isso aconteça.

Portanto, um bom método de treino para a hipertrofia, precisará da combinação estímulos+descanso, para ser de fato efetivo.

Dessa forma, a musculação apresenta uma vantagem em potencial muito grande. É possível treinar segmentos musculares em separado, sem que haja um trabalho em potencial, de músculos que deveriam estar “descansando”.

No Crossfit, isso é mais complexo e em muitos casos, praticamente impossível. Neste caso, pensando em termos de hipertrofia, é inegável que a musculação é mais eficiente.

Crossfit gera hipertrofia!

crossfit hipertrofia

Sim, gera. Porém, o fato de um determinado método trazer algum resultado, não significa que ele é superior a outro. Da mesma forma, quando falamos em hipertrofia, temos que entender que existem pessoas que visam. A hipertrofia pode ser em grandes proporções, como acontece com os fisiculturistas, ou em menor grau. Neste último caso, é sim possível alcançar bons resultados com o Crossfit.

O que escolher? Crossfit ou musculação?

Depende de cada individuo. Eu particularmente, tenho preocupação com alguns casos de pessoas que praticam Crossfit. Já falei sobre isso neste artigo (Todos podem fazer CrossFit?). Há indícios que quando aplicado no contexto errado e sem o devido acompanhamento, o Crossfit pode trazer mais danos do que benefícios.

Porém, se você for praticar Crossfit em um local com boa orientação, que siga uma aprendizagem adequada dos movimentos e onde as cargas sejam bem aplicadas, pode sim ter bons resultados. Você não será um bodybuilder, mas terá sim um aumento sensível do volume muscular.

No caso da musculação, temos um ponto chave: muita gente acha uma atividade chata! Por isso, optam por modalidades como o Crossfit. Porém, em determinados casos, a musculação é fundamental e não deve ser trocada. No caso da hipertrofia, para ganhos maiores, ela é e provavelmente sempre será o melhor método de treinamento.

A escolha cabe a cada um. O que é fundamental mesmo é o bom acompanhamento profissional e ter objetivos realistas. De resto, escolha o que te deixa mais satisfeito! Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.
CREF: 22643-G/SC

Leia também

Treino de costas, bíceps e antebraços, dicas práticas

A divisão do treino de costas, bíceps e antebraços é muito interessante para iniciantes, pois …

Treino de pernas e ombros para iniciantes, dicas práticas

A divisão de treino de pernas e ombros para iniciantes é uma alternativa bastante interessante …

  1. Vale destacar que os atletas praticantes do crossfit não abandonaram a musculação, eles aliam ela à modalidade.

    Ou seja, musculação é indispensável.

  2. Crossfit e Fisioculturismo/bodybuilding/musculação são esportes diferentes.

    Os dois são competitivos, mas o crossfit tem uma aspecto esportivo mais clássico. Seus treinos (funcionais) e filosofia fazem com que o esporte seja mais divertido para a grande maioria. Na maioria dos treinos é você contra o tempo de outros colegas. Na musculação é você contra você.

    Já pratiquei por 1,5 anos crossfit/funcional, era divertido, mas parei devido a duas lesões, uma no punho e outro na coluna.

    Agora é só musculação mesmo e não pretendo voltar ao crossfit.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!