TREINO

Condromalácia patelar: o que é, exercícios e tratamento

Whey Protein Growth Supplements
A condromalácia patelar é uma das patologias de joelho mais comuns. Ela é tratável e na maioria dos casos, é possível conviver facilmente com ela.

Uma dor no joelho, que é difícil de ter a região apontada com precisão.

Dor ao descer e subir escadas, ao agachar e em outros momentos em que há maior movimentação do joelho.

Estes são alguns sintomas comuns à condromalácia patelar. Esta é uma das doenças de joelho mais comuns.

Ela atinge principalmente as mulheres, por questões que irei explicar mais a frente.

No geral, a pessoa que possui condromalácia patelar precisa passar por algumas etapas de tratamento para conseguir melhorar.

E em todos os casos, é no exercício físico que estão as melhores chances de melhora.

O que é condromalácia patelar

A condromalácia patelar é o amolecimento e em determinados casos, lesões focais, na cartilagem anterior da patela.

A condromalácia patelar, chamada de síndrome patelo-femoral, é uma doença condral (cartilaginosa).

As lesões condrais trazem consigo um desafio: a cartilagem é um tecido de difícil cicatrização e regeneração.

Whey Protein Isolado Growth Supplements

Neste caso, há abordagens cirúrgicas bastante atuais, de medicina regenerativa, mas que são usadas raramente em casos de condromalácia.

De forma simplificada, por uma série de fatores, a patela “desliza” fora de seu eixo natural, entre os côndilos lateral e medial, na face patelar.

Isso faz com que haja atrito entre a cartilagem anterior da patela e o fêmur.

Quais as causas da condromalácia patelar?

A condromalácia acontece por lesões focalizadas na cartilagem. Ou seja, ela pode acontecer por diferentes questões.

O envelhecimento, naturalmente irá causar desgaste cartilaginoso. Isso é natural e documentado na ciência há bastante tempo.

Ou seja, o envelhecimento é uma das causas mais comuns da condromalácia patelar. Mas não é a mais relevante.

A principal causa da condromalácia patelar é a soma de dois fatores: mecânica de movimento alterada e enfraquecimento muscular.

Questões como joelho em valgo, em varo, ou o valgo dinâmico são as mais comuns. Mas estes casos, isolados, não necessariamente gera a condromalácia patelar.

O fator mais comum, então, é a inatividade física e o enfraquecimento muscular.

Um quadríceps fraco vai deixar toda a estrutura patelar mais instável e com isso, será natural que a patela “deslize” fora de seu eixo natural.

Excesso de peso também é um fator importante. As mulheres, por possuírem o quadril mais largo, tem uma tendência maior ao valgo, por causa do angulo Q maior, como mostra a imagem:

Como é feito o tratamento da condromalácia patelar?

O primeiro ponto do tratamento é, naturalmente, o diagnóstico. Ele deve ser feito por um ortopedista, especializado em joelho.

Através de exames clínicos e de imagem, ele vai diagnosticar a condromalácia patelar.

É importante que este diagnóstico seja feito por um ortopedista especializado, pois há outras patologias de joelho com sintomas bem parecidos.

A condromalácia patelar possui diferentes graus (que vão do I ao IV). Da mesma forma, ela pode ser praticamente assintomática até casos de crises bastante intensas.

Neste caso, dependendo de cada caso, a abordagem é diferente.

Se há dor ou limitação do movimento, o mais indicado é o tratamento fisioterapêutico.

Através de estratégias de estabilização articular e de analgesia, a crise pode ser controlada.

Além disso, o fisioterapeuta irá realizar trabalhos de melhora na ativação muscular, principalmente no quadríceps. Isso é fundamental para a próxima etapa, o treinamento físico!

creatina Growth Supplements

Posso treinar com condromalácia patelar? Como deve ser o treino?

Não só pode, como deve! A maior chance de melhora considerável de um quadro de condromalácia patelar, está na prática de exercícios físicos.

Mas isso não significa treinar de qualquer forma.

Nós desenvolvemos um vídeo falando sobre isso em nosso canal, se ainda não se inscreveu para receber nossas atualizações, clique aqui e se inscreva.

Exercícios utilizados no tratamento da condromalácia patelar

Condromalácia patelar: Exercícios, o que evitar e cuidados

Falando em termos de exercícios e treino, existem algumas questões fundamentais.

1- Melhore a sua mobilidade e flexibilidade

É bem comum que pessoas com condromalácia patelar, possuam pouca mobilidade e flexibilidade. Principalmente se esta pessoa passou por algumas crises.

Neste caso, todo treino precisa de exercícios de flexibilidade e mobilidade. Eles podem ser feitos ao final do treino ou no início, dependendo da estratégia.

Alongamentos de quadríceps, posteriores de coxa (posteriores, adutores, abdutores e quadríceps), glúteos, panturrilhas e músculos lombares, são fundamentais. Mobilidade de quadril e tornozelo, também.

2- Melhora do padrão de movimento

Geralmente a condromalácia patelar está atrelada a um padrão alterado de movimento.

É preciso melhorar isso. Através de educativos, exercícios de correção e fortalecimento específicos, isso é possível.

Para te dar uma ideia de como isso pode ser feito, temos este artigo com vídeo, que mostra alguns educativos de agachamento.

3- Fortalecimento constante

O fortalecimento em uma pessoa com condromalácia patelar deve ser constante. E por fortalecimento, não entenda usar cargas elevadas.

Há pessoas com condromalácia patelar, que podem treinar apenas com o peso do corpo, no início.

O mais importante é a musculatura estar ativa e em constante fortalecimento.

Fortalecimento de quadríceps precisa ser prioridade. Glúteo médio, glúteo máximo, posteriores de coxa, também. Um core forte e estável, também ajudará muito neste cenário.

4- Trabalhe muito sua força excêntrica

No geral, pessoas com condromalácia patelar, tem pouca força excêntrica. Por isso, é comum que estas pessoas sintam dores ao descer escadas, por exemplo.

Por isso, é fundamental o fortalecimento excêntrico em todo o treino.

A solução para a condromalácia patelar sempre é muito individual, pois há muitas variáveis envolvidas, diferentes cenários, crises de dor e outras questões.

Vale ressaltar que esse artigo é apenas informativo e não substitui diagnostico de um ortopedista, assim como é fundamental o trabalho orientado por fisioterapeuta e profissional de educação física.

Bons treinos!

Clique para conhecer

Sandro Lenzi

CREF: 22643-G/SC Profissional de educação física apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. Quer ter um treino personalizado? clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo