Página Inicial » Treinos » Cadeia cinética aberta e fechada, como elas influenciam em seu treino?
Cadeia cinética aberta fechada e mista
Tudo que você precisa saber sobre as cadeias cinética aberta, fechada e mista.

Cadeia cinética aberta e fechada, como elas influenciam em seu treino?

As cadeias cinéticas estão diretamente relacionadas com a forma como seu treino traz resultados. Veja agora suas principais diferenças e as vantagens de cada uma delas!

Cadeias cinéticas são conexões entre ângulos, músculos e articulações, que produzem movimentos. Ou seja, elas são fundamentais para seu treinamento, independentemente de qual seja seu objetivo.

É lógico que você, como praticante de exercícios físicos, não tem que ter este conhecimento de forma aprofundada. Mas saber o que são e a influência delas em seu treinamento, é fundamental!

De forma geral, temos a cadeia cinética aberta e fechada. Cada uma delas é usada em seu treino. Como eu sei disso? Simples, se você faz os movimentos básicos na musculação, já terá uma alternância entre elas.

Qual a diferença entre cadeia cinética aberta e fechada?

Basicamente, estas cadeias tem uma relação direta entre a carga utilizada e os componentes neuromotores do movimento.

Cadeia cinética aberta – O que é e exercícios

Consideramos cadeia cinética aberta, aquela onde os pontos distais do corpo (mãos e pés) não estão fixos. Eles sofrem uma influência direta da gravidade e necessitam de maior trabalho de estabilização.

Um caso muito comum são os movimentos com halteres, como supino com halteres, puxadas, elevações e outros. O ponto distal, neste caso a mão, está “livre” e as unidades motoras tem de fazer o papel de manter o controle do movimento.

Mas não são apenas os movimentos com halteres que se classificam como cadeia cinética aberta. O exercício Leg Press, por exemplo, também é considerado cadeia cinética aberta, pois os membros distais se movimentam, enquanto o tronco está fixo.

Cadeia cinética fechada – O que é e exercícios

A cadeia cinética fechada, obviamente, é o oposto da aberta. Neste caso, os pontos distais estão “presos” e não se movimentam. Grande parte dos movimentos para membros inferiores, se classifica como cadeia cinética fechada.

No geral, com a cadeia cinética fechada, é natural que seja mais fácil usar cargas um pouco mais elevadas. Mas isso não é via de regra.

Um exemplo clássico de cadeia cinética fechada é o agachamento livre. Nele, os membros distais estão fixos ao chão e é o tronco que realiza o movimento.

Cadeia cinética mista – O que é e exercícios

Há ainda, a cadeia cinética mista, que “mistura” ambos. Um caso muito conhecido, é o do supino com barra. Os membros distais, neste caso as mãos, estão “presos” um ao outro pela barra, mas podem se movimentar no espaço.

Esta é uma classificação que muitas vezes, não aparece na literatura. Porém na prática, ela é muito utilizada.

Mas como estas cadeias cinéticas influenciam seu treino?

Basicamente, as cadeias cinéticas estão mais ligadas as questões neuromotoras. Os exercícios de cadeia cinética fechada, tendem a ser mais funcionais. Mas isso não é via de regra.

Na prática, é muito importante que eles sejam feitos com variações. Optar apenas por cadeias cinéticas abertas ou fechadas, vai deixar seu treino limitado.

Porém, é importante entender alguns pontos. É natural que um iniciante tenha mais dificuldade com movimentos de cadeia cinética aberta. Afinal, ele tem menos controle muscular e consciência corporal.

Por isso, muitas vezes usamos movimentos de cadeia cinética fechada, nos primeiros treinos. Mas isso depende de uma série de fatores.

Em um contexto geral, é fundamental que você utilize ambas as cadeias em seu treino.

Quanto maior o estímulo muscular e neuromotor, melhor. Por isso, não podemos trabalhar apenas com um tipo de cadeia cinética.

Quanto maior a qualidade e a variabilidade de movimentos, melhor para seu treino. Por isso, busque variações inteligentes de movimento, usando estes conceitos de cadeias cinéticas, mas sempre preservando a qualidade do estímulo. Treine sempre com a orientação de um bom profissional.

Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. CREF: 22643-G/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend