Página Inicial » Treinos » Dor muscular de início tardio é normal?

Dor muscular de início tardio é normal?

Muitas pessoas dizem que se você não sentir dor depois de um treino, é sinal que ele não fez efeito. Mas será mesmo que a dor muscular de início tardio é de fato fundamental para o desenvolvimento da hipertrofia? Veja o que os estudos científicos dizem.

O senso popular muitas vezes atribui o treinamento de força ao conceito de dor tardia. Neste sentido, uma das principais frases motivacionais do mundo da musculação, No pain, No gain vincula a ideia de que só teremos resultado se sentirmos dor. Mas será que necessariamente a dor muscular de início tardio (ou tardia como algumas literaturas apontam) é mesmo normal e fundamental para o progresso hipertrófico?

dor muscular tardiaAntes de entrarmos na questão da regularidade e normalidade é fundamental que entendamos por que a dor muscular de início tardio acontece e quais os mecanismos que levam a tal efeito.

Entendendo a dor muscular de início tardio

Podemos considerar a dor muscular de inicio tardio (DMIT) como uma constantemente presenciada nos diversos praticantes de modalidades esportivas, ou ainda por pessoas que se submetem á programas variados de treinamento físico, ou ainda por indivíduos sedentários que praticam atividades físicas que estão fora de sua rotina. Diversos autores como Neto et al (2006), Bompa (1994), Mcardle (1998) e outros acreditam que o surgimento destas dores é um processo de adaptação fisiológica do organismo, o que torna o músculo mais resistente aos exercícios seguintes. Concordando com tal conceito, Tricoli (2001) afirma que:


“A dor muscular de inicio tardio se caracteriza por ser uma sensação de desconforto muscular, que é originada a partir do término do treinamento, e alcança seu ápice entre 2 e 3 dias posteriormente, e desaparecendo totalmente cerca de 7 dias após a prática de tal exercício físico. É lógico que isso tudo depende de fatores como intensidade, nível de treinamento, nutrição e descanso.

As causas da DMIT são oriundas de vários fatores, sendo os microtraumas mecânicos que são induzidos pelo exercício físico um dos principais, estes que têm sua maior prevalência nos exercícios realizados de forma excêntrica. A teoria dos microtraumas mecânicos, que segundo Foschini e colaboradores (2007) propõe que há, devido ao exercício físico, um enorme rompimento dos componentes das fibras musculares, como o sarcolema, os túbulos t, e principalmente a linha Z, que é muito utilizada nas contrações. Enzimas como a creatina e o lactato, são utilizadas para verificar e apontar os danos causados por esses traumas.

Os traumas mecânicos que são aplicados ao músculo induzem a processos inflamatórios que irão causar dor e sensibilidade. De acordo com Tricoli (2001), a inflamação que provoca a dor muscular de início tardio é uma resposta dos tecidos do corpo, a uma infecção ou a lesão.

Para ilustrar tudo o que foi dito, logo após o exercício físico foi verificado que há a presença de agentes responsáveis pela regeneração do tecido, além dos neutrófilos, leucócitos, monócitos. Isso tem uma relação com a DMIT também estar relacionada ao processo inflamatório que é encarregado da regeneração do tecido muscular que foi lesionado pelo exercício físico.
Leia também:
No pain, No Gain – É importante a dor nos músculos depois do treino?

A dor muscular de início tardio é proveitosa?

Na verdade a questão da dor muscular de início tardio tem relação com as microlesões musculares que o exercício impõe. Porém muitas vezes ela é confundida com lesões causadas por problemas ligamentares ou ainda por execuções erradas. Por isso a dor muscular de início tardio caso seja decorrente de lesões causadas pelos microtraumas mecânicos, é totalmente normal e faz parte do processo que desencadeia na hipertrofia. Como já mencionado, ela ocorre por causa de inflamações que tem como objetivo cicatrizar as microlesões. Esta cicatrização é que faz com que as células musculares hipertrofiem e aumentem a secção transversa do músculo. Porém se ela for persistente e não passar depois de alguns dias, é bom ficar atento, pois ela pode ser um indício de lesão muscular ou ligamentar. Por isso é importante que estas dores sejam observadas com cuidado. Caso elas sejam decorrentes mesmo dos esforços que o exercício impõe, são apenas reflexos normais do exercício e não passam de processos adaptativos necessários para a hipertrofia. Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.
CREF: 22643-G/SC

Leia também

Treino de costas, bíceps e antebraços, dicas práticas

A divisão do treino de costas, bíceps e antebraços é muito interessante para iniciantes, pois …

Treino de pernas e ombros para iniciantes, dicas práticas

A divisão de treino de pernas e ombros para iniciantes é uma alternativa bastante interessante …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!