Pesquisar

Desenvolvimento Militar para ombros, devemos evitar?

Nesse artigo o professor Sandro Lenzi fala a respeito do exercício de desenvolvimento militar para deltóides e os riscos de lesões.


PUBLICIDADE

Antes de falarmos especificamente do desenvolvimento militar e suas variações, temos de reportar que a articulação do ombro é uma das mais dinâmicas de nosso corpo, fazendo movimentos como extensão e flexão, abdução e adução, elevação lateral e muitos outros. Porém isso não quer dizer que ela não precise de cuidados, pois justamente por seu grande grau de utilização, o ombro apresenta muitos casos de lesões articulares advindas de um treinamento errado. É muito comum conhecer pessoas que tiveram problemas de lesão nos ombros devido a um treinamento mal feito. Portanto, devemos cuidar ao máximo na execução e na escolha dos exercícios para este grupo muscular, além de priorizar seu fortalecimento para que outros grupos dos membros superiores possam ser treinados de maneira eficaz.

– O desenvolvimento militar apresenta variações quanto a carga ( barra ou halter) e em relação ao movimento (na frente do corpo ou atrás da nuca). Pois bem, vamos analisar por partes. Este exercício promete trabalhar os deltoides e em menor grau os tríceps. Pois bem, não é que ele não consiga trabalhar estes grupamentos, mas devido ao seu elevado grau de dificuldade, e por usar a carga mais elevada, o que faz com que a força da gravidade seja ainda mais atuante, pessoas destreinadas não irão conseguir um volume adequado e consequentemente nem uma intensidade excelente para a hipertrofia.

– O tipo da carga utilizada não traz grandes mudanças, porém se feita com halteres necessita de mais controle de movimento do executante, justamente por serem pesos individuais que precisam de muito mais controle do movimento do que a barra. Já no que se refere a execução tanto pela frente, quanto por trás da nuca, ambas tem restrições bastante acentuadas.

– A execução do desenvolvimento militar pela frente, onde se inicia o movimento com a barra na linha dos ombros, e com as mãos voltadas para cima. Depois o executante empurra a barra para cima, em seu ponto mais alto. Pelo encaixe do úmero com a cavidade glenoide, temos o movimento do ombro limitado. Como este exercício necessita de uma grande amplitude de movimento, os deltoides, que são de fato os músculos alvo, acabam não sofrendo tanta sobrecarga quanto necessitam para a hipertrofia. Além disso, o exercício impõe um grande impacto nas articulações, por ser um movimento que já se inicia com pressão sobre os complexos articulares do ombro. Além disso, independente se fizer o exercício em pé ou sentado, ele causa uma grande sobrecarga na coluna vertebral, que com a prática constante pode ocasionar lesões.

Leia também: Os melhores exercícios para ombros e trapézio

– Já o desenvolvimento militar por trás da nuca, além de ter todas estas mesmas contra indicações, ainda por cima tem um outro agravante. Ele causa uma rotação externa do ombro, que aliada a sobrecarga do exercício pode causar lesões no manguito rotador. Além disso, é muito difícil que uma pessoa seja completamente alinhada e tenha as articulações do ombro com o mesmo grau de força. Assim, é muito comum que as pessoas que façam este exercício, acabem compensando com um lado ou outro o movimento.

Pois bem, apesar de muitos defenderem o desenvolvimento militar, ele na maioria dos casos, é extremamente lesivo e não apresenta bons resultados em matéria de hipertrofia. Existem muitos exercícios para deltoides, que conseguem um resultado muito melhor sem ter tanto perigo de lesão, como estes apresentados neste artigo (Principais erros no treino de deltóides). Entre muitos outros que não vão prejudicar seus ombros e te darão uma melhor hipertrofia.

Desenvolvimento Militar para ombros, devemos evitar?
Avalie este artigo

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. CREF: 22643-G/SC

4
Deixe um comentário

avatar
2 Tópicos de comentários
2 Respostas do Tópico
0 Seguidores
 
Comentário mais reagido
Tópico de comentário mais em alta
4 Autores de comentários
LeoneleduardoEduardo Guerra.wilker Autores de comentários recentes
  Inscrever-se  
Mais recente Mais antigo Mais votado
Notificação de
eduardo
Visitante
eduardo

IMHO, quem deveria colocar referencias bibliográficas sobre lesão em ombro por levantamento militar é o autor do texto, afinal o comentário do amigo mostrou que inúmeros executam o exercício e obtêm beneficio do mesmo, agora, falar, falar e não colocar uma fonte que o movimento é limitado que ficou mais que esquisito, e depois com a resposta, mais que prepotente.

wilker
Visitante
wilker

Desenvolvimento militar é “”é extremamente lesivo e não apresenta bons resultados em matéria de hipertrofia””, você conhece um cara chamado Arnold? Posso citar centenas de outros, antes de escrever algo se informe primeiro, indivíduos bem treinados e com execução correta do movimento não iram se lesionar. Sabe de nada.

Eduardo Guerra.
Visitante
Eduardo Guerra.

Fisiculturista e atletas de alto rendimento não são parâmetro para ninguém, até porque a grande maioria fazem usos de anabolizantes, uma realidade diferente das pessoas normais. Atletas de alto nível sempre sofrem grandes lesões, é só vc pesquisar!
Se quiser debater, coloque pelo menos uma referencia bibliográfica, porque o desinformado aqui é você com esse conhecimento popular pobre!
Conheço vários coitados igual vc que começam a treinar, não sabem nem fazer periodizações de macro, meso, microciclos e enchem a boca cuspindo um monte de asneira. Vai estudar!

Parabéns ao professor Sandro Lenzi, sempre muito informado e coerente em seus artigos.

Leonel
Visitante
Leonel

“… não são parâmetros p/ ninguém…” Mas te garanto que a maioria esmagadora gostaria de ter um shape pelo menos similar ao deles. Todo exercício como qualquer esforço físico na vida exige que se respeite os próprios limites. O desenvolvimento militar exige força global de todo o corpo, bem como desenvolve a região do core, lombares e estabilizadores em geral. Ele trás consigo inúmeros benefícios e por isso não vamos radicalizar. Sem essa de condenar exercício ‘x’ e eleger exercício ‘Y’ como o melhor. Tanto quem é pesquisador como o atleta que treina o determinado exercício podem ter experiências diferentes… Leia mais »