fbpx
Pesquisar

Sistema de Treinamento de Choque para quem estagnou!

Extraído da Enciclopédia de Fisiculturismo e Musculação do mestre Arnold Schwarzenegger‎, entenda como funciona os princípios do método de treino de choque.

carga de choque sistema método treino

Devido a aceitação e as recorrentes dúvidas sobre métodos de treinamento para hipertrofia, vou fazer uma série de alguns artigos, falando sobre vantagens, desvantagens e métodos de diferentes sistemas de treinamento visando a hipertrofia.

Antes de mais nada quero deixar bem claro que estes métodos são utilizados por atletas e amadores em estado avançado de treinamento, e na quase totalidade dos casos, são contra indicados para iniciantes ou pessoas que não tenham a hipertrofia como principal objetivo.

O sistema de treino nesse artigo é o método de choque, que nada mais é do que uma série de mudanças na rotina de treinamento para que o corpo não venha a se adaptar a determinada série de exercícios.

Como funciona o treinamento de choque

Segundo Schwarzenegger (2006) tanto os fisiculturistas quanto os amadores em estágios avançados de hipertrofia, buscam sempre treinar de forma diferente, não repetindo nem os exercícios nem as cargas e, quando repetem, mudam a ordem.

Por exemplo, em alguns dias eles treinam certos exercícios com pesos elevados e repetições baixas, e em outros, mudam os exercícios, ou então usam altas repetições e pesos menores, dando um volume e uma intensidade diferentes.

Assim, a mudança no treinamento por si só tende a fazer com que o corpo entre em estado de “choque” e mesmo que o treinamento “não familiar” não seja mais exigente do que aquele em que se estava acostumado a realizar.

O principal foco deste tipo de treinamento é evitar a adaptação do corpo as cargas que o treinamento impõe, criando assim a necessidade de melhora e desenvolvimento de toda a estrutura fisiológica que faz com que a musculatura esquelética hipertrofie.

Este método ficou bastante conhecido por ser um dos utilizados por Arnold Schwarzenegger.

Vamos agora analisar este treinamento.

Vantagens do Treinamento de Choque

Treinamento de choque enciclopédia de fisiculturismo arnold schwarzenegge

Como já mencionei diversas vezes em meus artigos, a hipertrofia só ocorre se o corpo for submetido a uma sobrecarga a qual não está adaptado.

Então talvez você se pergunte, este é o melhor método, certo? Minha resposta é… Depende.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Sei que a resposta é evasiva e nem um pouco conclusiva, mas acredito que não exista fórmula pronta para o sucesso de seu treinamento.

1° Ideal para pessoas já treinadas, quebrarem o platô

Analisando somente sobre o prisma da adaptação, com certeza o treinamento de choque é um dos mais efetivos para pessoas treinadas que busquem a hipertrofia.

O treinamento de choque vai impor para sua musculatura uma sobrecarga bastante intensa e se bem dosada com alimentação e descanso, com certeza você poderá ter excelentes resultados.

2° Mais dinâmico e menos monótono

Este tipo de treinamento geralmente é bem visto pelos praticantes, pois deixa o treino mais dinâmico e menos monótono.

Além disso, ao alterar a ordem dos exercícios, será possível observar na prática, que exercícios te deixa mais fatigado e com isso, melhorar aspectos falhos de seu treinamento.

Mas como nada nesse mundo é perfeito, o treinamento de choque também apresenta limitações e ocasiões onde não deve ser utilizado. Vejamos as suas principais desvantagens.

Leia também:

Bi-set: Guia completo com exemplos de treino (5 dicas importantes)

Tri Set – Como funciona a técnica e exemplos de treinos

Rest-Pause – Método de treino para melhorar os resultados

Desvantagens do Treinamento de Choque

A maior qualidade deste treinamento é também um dos motivos que fazem com que ele seja ineficaz em determinadas situações.

Por exemplo, ele parte do princípio das cargas variáveis, onde o corpo deve receber diferentes estímulos.

1° Princípio da relação entre cargas

Justamente por sua variabilidade, ele pode muitas vezes deixar de levar em conta outros princípios do treinamento de força, como o princípio da relação entre as cargas, que diz que, se não houver uma relação efetiva entre as cargas de treinamento, o objetivo pode não ser alcançado.

2° Princípios das cargas

Também tenho que deixar claro que os princípios da carga crescente, da carga contínua, da sobrecarga, da sucessão das cargas, entre outros, também não devem ser ignorados e se não forem muito bem dosados pelo treinador neste tipo de treino, podem fazer com que os objetivos não sejam atingidos.

Leia também:

Treino Super Séries: Como fazer e potencializar seus RESULTADOS

Drop Sets: Como fazer corretamente e potencializar seus resultados

Treino Super-set, entenda como funciona e como executá-lo

Para quem é indicado o Treinamento de Choque?

Na verdade cada caso apresenta variáveis que devem ser levadas em conta pelo treinador, mas na maioria dos casos, este tipo de treino deve ser utilizado por pessoas que já tenham um bom grau de hipertrofia e vem encontrando problemas em continuar seu desenvolvimento muscular, ou seja estejam estagnadas.

Nestes casos é bastante indicado um treinamento de choque para que possam alcançar resultados melhores.

Mestre Leandro Twin tira mais dúvidas a respeito

O Mestre Leandro Twin fala um pouco mais sobre a carga de choque no treinamento, veja:

Referências:
SCHWARZENEGGER, A. Enciclopédia de fisiculturismo e musculação. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

Sobre Sandro Lenzi

CREF: 22643-G/SC Profissional de educação física apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. Quer ter um treino personalizado? clique aqui.

4 Comentários

  1. Leonardo Henrique Pereira Silva

    Por favor, acaso, há algum treinamento (exercícios, séries e repetições) específico, que propicie, enquanto melhores, então, aos satisfatórios resultados de hipertrifiamento, para cada um dos biotipos/somatotipos: ecto, endo e mesomorfo?

  2. Gostei da matéria, só gostaria de saber por quanto tempo é bom fazer esse treino de choque.

  3. Gostei do artigo, só acredito que faltou uma exemplificação mais clara sobre como utilizar o método.

    Um abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *