Pesquisar

Como o encurtamento muscular prejudica seu treino e te predispõe a ter mais lesões

O encurtamento muscular pode ser a razão por você não conseguir melhores resultados e ainda, te trazer lesões. Veja neste artigo, mais sobre o tema!

encurtamento muscular


PUBLICIDADE

Um treino inteligente, é antes de qualquer coisa, aquele que traz uma melhora orgânica total para o corpo. Para isso, precisamos de uma abordagem mais ampla.

Apenas fortalecer, não é o suficiente. Nossos músculos e estruturas articulares precisam também de mobilidade. O encurtamento muscular pode limitar seus resultados e aumentar as chances de lesão.

As razões para isso, são muitas. Mas precisamos entender todo o contexto que envolve o movimento, para entender porque o encurtamento muscular é tão prejudicial para seus treinos de musculação.

Encurtamento muscular e a origem dos problemas

Vamos olhar tudo isso por uma perspectiva maior, mais ampla. Nossos músculos são estruturas constituídas por filamentos, que produzem movimentos.

Eles têm como principal característica, serem móveis. Se há perda de mobilidade, perdemos parte da capacidade funcional dos músculos.

Além disso, músculos mais encurtados, menos móveis, tem menos eficiência contrátil. Desta forma, perde-se coordenação motora e capacidade de força.

Então, músculos que tem menos mobilidade, desempenham suas funções de uma forma menos eficiente.

Não precisa ter muito conhecimento, para saber que músculos encurtados tem menos potencial de hipertrofia.

Como eles não conseguem uma solicitação tão grande, naturalmente, o treino é menos eficiente.

Então, em termos de hipertrofia, ou mesmo de desempenho, pouca mobilidade muscular (e consequentemente, articular), causa uma perda de desempenho.

Encurtamento muscular gera lesões

Se os músculos perdem efetividade em suas ações, naturalmente, os movimentos ficam prejudicados.

Se os movimentos não são adequados, existem compensações motoras e invariavelmente, sobrecarga desnecessária em muitas estruturas.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Desta forma, o encurtamento muscular, gera lesões.

Por exemplo, uma pessoa com encurtamento de cadeia posterior inferior, não vai conseguir fazer adequadamente, movimentos de flexão de quadril e coluna.

Neste caso, os discos intervertebrais são sobrecarregados em vários movimentos do dia a dia e também, durante os treinos.

Exemplos como estes, existem aos montes! Praticamente todas as articulações sofrem algum tipo de sobrecarga desnecessária, quando os músculos que ali se inserem, são encurtados.

Ou seja, encurtamento muscular traz queda no rendimento e aumenta consideravelmente o risco de lesões.

Veja agora, como reduzir o encurtamento muscular!

Como reduzir seu encurtamento muscular e melhorar muito o seu rendimento, prevenindo lesões

Que músculos encurtados são um problema, creio que não há dúvidas.

Porém, precisamos entender que isso pode ser melhorado apenas com uma estratégia: treinamento adequado.

Existem formas de minimizar os encurtamentos e melhorar a eficiência de seus treinos.

1- Alongamentos estáticos e dinâmicos

Basicamente, esta é a maneira mais tradicional de reduzir os encurtamentos musculares.

Naturalmente, eles têm algumas limitações e devem ser integrados com outras estratégias.

No caso dos alongamentos estáticos, os mais tradicionais, é preciso tomar apenas alguns cuidados com o momento a ser usado e o tempo de manutenção da posição.

2- Faça exercícios de mobilidade

Estes, muitas vezes se confundem com os alongamentos dinâmicos, mas tem diferenças.

Os exercícios de mobilidade são movimentos que são usados para melhorar tanto a questão muscular, quanto articular.

Estes exercícios de mobilidade envolvem movimentos específicos, geralmente focados em articulações.

Veja neste vídeo abaixo, uma demonstração de exercícios de mobilidade para quadril:

Leia também:

Alongamento de cadeia posterior, veja sua importância e como executar

Exercícios de potência para melhorar sua aceleração e velocidade!

7 maneiras de evitar lesões na musculação

Estes exercícios são fundamentais para melhorar a amplitude de movimento na musculação.

Como eles são feitos de forma dinâmica, eles melhoram a mobilidade dos músculos também.

Quando aliados a exercícios de alongamento tradicionais, produzem um resultado muito bom.

3- Vá, aos poucos, aumentando a amplitude dos movimentos na musculação

Exercícios com uma boa amplitude, também ajudam. Por exemplo, ao agachar, vá até o limite possível, sem perder as curvaturas da coluna.

Inicie sem carga e vá agachando, buscando cada vez mais amplitude.

O mesmo vale para todos os demais exercícios. Mas é muito importante, nesta fase, usar pouca carga.

Conforme a amplitude vai melhorando, podemos ir usando mais peso.

4- Faça Pilates

Não é via de regra, mas o Pilates é excelente para esta finalidade. Toda a dinâmica dele é focada em melhorar a eficiência muscular, envolvendo também a amplitude de movimento.

Desta forma, ele é muito útil para melhorar o problema de encurtamento muscular.

Integrado a musculação, o Pilates traz resultados excelentes.

Estas são algumas maneiras de melhorar a sua amplitude de movimento e com isso, acabar com o problema de encurtamento muscular.

Acredite, você treinará muito melhor, quando não tiver músculos encurtados.

Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. CREF: 22643-G/SC

Um comentário

  1. Muito bom destacar sobre a importância dos alongamentos, mas faltou algo extremamente importante: a avaliação das musculaturas encurtadas, pois como alongar ou mesmo prescrever alongamentos sem antes avaliar? Aí que entra o profissional de educação física com conhecimento técnico para isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *