fbpx
Pesquisar

Anti-inflamatórios atrapalham a hipertrofia?

A hipertrofia se dá por um conjunto de elementos, como dieta, treino e descanso. Neste contexto, os medicamentos anti-inflamatórios sempre foram apontados como prejudiciais para os resultados. Mas será que isso é verdade e tem respaldo científico?

Anti-inflamatorios e hipertrofia

Acabar com as dores e incômodos. Esta é a principal função dos anti-inflamatórios. Quem treina, tem constantemente dores, principalmente as musculares.

Este cenário traz o uso de medicamentos anti-inflamatórios como forma de minimizar estas dores.

Porém, muito se fala que os anti-inflamatórios inibem a hipertrofia e prejudicam os resultados.

Será que isso procede?

Qual o motivo dos anti-inflamatórios inibirem a hipertrofia?

A explicação mais aceita, no que se relaciona o uso de anti-inflamatórios e a hipertrofia, é que eles retardam a regeneração muscular.

De forma geral, os anti-inflamatórios prejudicam o fluxo normal da supercompensação (já falamos sobre ela neste artigo Entenda o fenômeno da supercompensação).

De forma resumida e simplificada, o corpo, após receber um estímulo (treino), inicia um processo de recuperação, visando recompor as unidades que foram danificadas, como estruturas musculares, ligamentares e bioenergéticas.

Ao ingerir anti-inflmatórios, este processo de recuperação é retardado, tornando-se mais lento. Isso por que eles agem inibindo e mascarando os sintomas desta regeneração.

Mas será que isso tem comprovação científica?

Estudos mostram que anti-inflamatórios inibem a hipertrofia

Existem alguns estudos que buscaram analisar esta premissa. Porém, 2 deles se destacam, pela metodologia e aplicação.

Em um estudo de Lilja et.al (2017) foram analisados os efeitos do uso de anti-inflamatórios baseados em ibuprufeno e a hipertrofia.

Participaram do estudo homens e mulheres entre 18 e 35 anos, que foram divididos de forma aleatória em grupos que ingeriam anti-inflamatórios com base em ibuprufeno e o outro, consumia apenas aspirina.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Todos os participantes foram submetidos a treinos de força e hipertrofia, durante o período de teste, que durou 8 semanas.

Ao final do estudo, foi possível verificar que o grupo que ingeriu aspirina teve um aumento de 67% de hipertrofia, quando comparado ao grupo que ingeriu anti-inflamatório.

Em um outro estudo, de Correa 2013, foram analisados os efeitos da utilização de anti-inflamatórios e os efeitos agudos sobre a produção de força.

O estudo contou com 12 praticantes, homens, divididos em 2 grupos, que realizaram uma sessão de treino, após a ingestão de ibuprofeno (1,2 g) e outra sessão de treino, em dias distintos, ingerindo placebo.

O desempenho no treino foi mensurado com a contagem de repetições que os voluntários desempenharam. Ao final, não foi possível verificar qualquer alteração entre a ingestão de anti-inflamatórios.

Naturalmente, este segundo estudo deve ser visto com cuidado, quando o tema é hipertrofia. Afinal, rendimento agudo não significa resultados iguais.

Além do mais, a premissa mais utilizada para justificar a perda de rendimento e resultados é ligada a hipertrofia, não ao rendimento.

Então anti-inflamatórios realmente prejudicam a hipertrofia

De forma geral, sim. Naturalmente que há casos e casos e que esta não é uma verdade universal. Mas devido a sua ação bioquímica, os anti-inflamatórios tem um efeito de retardar a recuperação.

Como sabemos, quanto mais tempo demora para que seu corpo se recupere, menor será o potencial hipertrófico.

Fiquei doente e precisei tomar anti-inflamatório, como fica o treino?

Aqui entra uma questão muito importante: em alguns casos, o melhor é descansar.

Se há alguma inflamação em seu corpo, que esteja agredindo seu organismo, o ideal é não treinar ou então, treinar em menor intensidade.

Assim o corpo se recupera de forma mais rápida e você consegue voltar a treinar de forma mais efetiva.

Então, se você está doente, com alguma inflamação, reduza os treinos e se recupere totalmente.

Assim, você terá um resultado melhor, não terá problemas de saúde e conseguirá voltar a treinar logo, com força total.

Antibióticos e hipertrofia

Não existem estudos que mostrem que o uso de antibióticos afetem a hipertrofia como os anti-inflamatórios, mas afetam o sistema imunológico, fazendo com que ele diminua bastante durante o uso e períodos posteriores.

Como os antibióticos são sempre utilizados para tratar vários tipos de doenças, o recomendado é que durante o período de tratamento, a pessoa repouse e tente ao máximo manter uma dieta saudável.

Esse período de descanso será muito importante para recuperação da saúde e a pausa nos treinos poderá ser benéfica em vários sentidos, até para poder dar um “alivio” nas articulações.

Nunca use medicamentos sem orientação médica e sempre treine com orientação profissional.

Bons treinos!

Referências:
Lilja, M. High doses of anti‐inflammatory drugs compromise muscle strength and hypertrophic adaptations to resistance training in young adults. ACTA Phisyologica, 2017. (https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1111/apha.12948).
Correa, C. EFFECTS OF PROPHYLACTIC ANTI-INFLAMMATORY NON-STEROIDAL IBUPROFEN ON PERFORMANCE IN A SESSION OF STRENGTH TRAINING. Rev Bras Med Esporte – Vol. 19, No 2 – Mar/abr, 2013.
Karolinska Institutet. “Anti-inflammatory drugs can inhibit muscle growth.” ScienceDaily. ScienceDaily, 28 August 2017. <www.sciencedaily.com/releases/2017/08/170828125123.htm>.

Sobre Sandro Lenzi

CREF: 22643-G/SC Profissional de educação física apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. Quer ter um treino personalizado? clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *