fbpx
Pesquisar

Exercícios físicos ajudam a combater a fibromialgia

A fibromialgia é uma síndrome, do grupo das doenças reumáticas, que atinge mulheres em maior proporção. Neste sentido, a utilização de exercícios físicos vem se mostrando como uma forma de tratamento. Veja mais neste artigo.

Exercícios físicos ajudam a combater a fibromialgia

A fibromialgia vem se tornando uma síndrome cada vez mais comum.

Apesar de ser de ordem reumática, ela é caracterizada por possuir elementos psicossomáticos. Na verdade, as causas ainda são desconhecidas.

Por ser uma síndrome com estas características e por gerar dores crônicas e generalizadas, sonolência e fadiga, ela prejudica consideravelmente a qualidade de vida de seus portadores.

Neste sentido, o exercício físico vem se mostrando como uma forma de combate a fibromialgia.

Estudos envolvendo exercícios físicos no tratamento da fibromialgia

Como a Fibromialgia é uma síndrome ainda recente, carecemos de estudos em grandes populações e com aplicações transversais. Porém, há um grande interesse na ciência e o número de pesquisas cresce ano, após ano.

Valim (2006), realizou um estudo de análise bibliográfica, onde foram revistos 28 ensaios clínicos.

Em todos os estudos, houve melhora no quadro de dor e conforto por parte dos pacientes.

Neste estudo em específico, foram analisados apenas os estudos que utilizavam os exercícios aeróbicos como forma de tratamento.

Häkkinen (2001) realizou um estudo que avaliou os efeitos de 21 semanas de treinamento de força em mulheres, portadoras de fibromialgia e em pré-menopausa.

As pacientes que foram submetidas ao treinamento de força, tiveram ganhos físicos (aumento de força, por exemplo), mas também apresentaram redução de dores e fadiga, aumento da funcionalidade e melhora do quadro geral de qualidade de vida.

Um estudo de Jones (2002) buscou comparar o treinamento de força, com o treinamento de flexibilidade.

Participaram do estudo de 12 semanas, 68 mulheres. Elas foram divididas em 2 grupos que realizaram treinos de força e treinos de flexibilidade, separadamente.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Ao final do estudo, todas as participantes tiveram redução de dores e fadiga e melhoraram sua funcionalidade. Mas não foi possível verificar diferenças significativas entre os grupos.

Que tipo de exercício uma pessoa com fibromialgia deve praticar?

Este é um tema que deve ser bem analisado. Perceba que nos estudos que citei acima, não houve diferenças significativas entre exercícios aeróbicos, resistidos e de flexibilidade.

Em um contexto adequado, com ajuda de bons profissionais, o ideal é mesclar estes 3 tipos de exercícios. Usar musculação, aeróbico e treinos de flexibilidade, acaba sendo um protocolo bastante eficiente.

Temos também práticas como o Pilates, Yoga, natação e hidroginástica, que são muito eficientes para o tratamento.

Mas o mais importante é a aderência do portador de fibromialgia, ao programa de treinamento.

Só em longo prazo, com continuidade do processo, é que será possível chegar em um bom resultado.

Então, o primeiro ponto, é entender o que mais é agradável ao paciente, para então, utilizar como prática.

Também é importante que o treinamento seja conduzido de forma específica. Uma pessoa com fibromialgia já tem, naturalmente, dores musculares.

É preciso adaptar as cargas, amplitude, intensidade e demais variáveis, para que o treinamento não se torne uma nova fonte de desconforto.

Melhora do condicionamento é fundamental

Um ponto muito importante, dentro do treinamento físico para pessoas com fibromialgia, é a melhora do condicionamento. Portadores da síndrome apresentam menos resistência muscular, aeróbica e fadigam mais rapidamente.

Neste sentido, o treinamento precisa ser focado em métodos que vão, em longo prazo, trazer uma melhora no condicionamento físico.

Para isso, é importante lançar mão de diferentes métodos, como musculação, treinamento aeróbico e flexibilidade.

Restrições de movimento por parte de portadores de fibromialgia

Em momentos de crise, quem tem fibromialgia, deve fazer exercícios de baixa intensidade.

Além disso, a amplitude dos movimentos deve ser aumentada de forma gradual. Iniciar com movimentos “menores” e ir aumentando progressivamente.

Fora isso, a menos que haja alguma outra patologia, não há maiores restrições. A grande questão na prática de exercícios por parte de um portador de fibromialgia é justamente a progressão.

Praticar exercícios é fundamental para um portador de fibromialgia. Vai trazer melhora no quadro de dor e fadiga e ainda melhorar e muito a qualidade de vida.

Sempre treine com a orientação de um bom profissional.

Bons treinos!

Referências:

Valim, V. Benefícios dos exercícios físicos na fibromialgia. Rev. Bras. Reumatol. vol.46 no.1 São Paulo Jan./Feb. 2006.
Häkkinen. A. Strength training induced adaptations in neuromuscular function of premenopausal women with fibromyalgia: comparison with healthy women.Ann Rheum Dis. 2001.
Jones, K. D. A randomized controlled trial of muscle strengthening versus flexibility training in fibromyalgia. J Rheumatol. 2002

Sobre Sandro Lenzi

CREF: 22643-G/SC Profissional de educação física apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. Quer ter um treino personalizado? clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *