Página Inicial » Treinos » Treino de tríceps – 6 principais erros!
treino tríceps principais erros

Treino de tríceps – 6 principais erros!

Há alguns erros básicos no treino de tríceps, que podem comprometer a qualidade dos estímulos. Veja neste artigo, quais são e como evitar estes erros.

O tríceps, dentro de uma construção estética, é fundamental. Primeiramente, por que ele dá maior volume ao braço e também, por que ele dá maior tonicidade a região. Desta forma, temos um efeito muito melhor. Porém, há muitos erros no treino de tríceps que precisam ser evitados, para que este tenha mais efetividade.

Basicamente, o tríceps é composto por 3 “cabeças” e sua principal função é a extensão do cotovelo. Desta maneira, precisamos otimizar este movimento, para que mais fibras sejam solicitadas e o estímulo seja de muito mais qualidade!

Principais erros no treino de tríceps e como evitá-los!

Primeiramente, quero que você veja este vídeo do Victor Martinez:

Estes são alguns erros de execução muito comuns. Se você evita-los, já terá um trabalho bem mais efetivo e eficiente.

Leia também => Treino de tríceps, 6 dicas para deixá-lo mais eficiente

Mas também precisamos evitar mais alguns. Veja os principais:

1- Execução inadequada

No vídeo acima isso já é mostrado, mas nunca é demais salientar. É fundamental que todos os exercícios sejam feitos com atenção, pois uma execução errada acaba comprometendo o resultado. Por ser um movimento “concentrado”, muitas vezes os praticantes não dão a devida atenção para a execução dos exercícios para tríceps. Mas pequenos erros, já podem comprometer o estímulo.

Por exemplo, se no tríceps na polia alta, você levemente estender o ombro (empurrando-o para trás), você já terá menos tensão no movimento e consequentemente, o estímulo não terá tanta qualidade.

Mesmo caso no tríceps testa, quando usamos o braço em uma posição de 90 graus e paramos o peso acima da linha da articulação do ombro. Isso gera um ponto de descanso que diminui a tensão muscular e consequentemente, vai trazer menos intensidade no estímulo.

Portanto, o primeiro erro que precisa, a todo custo, ser evitado, são as execuções falhas.

2- Amplitude acima do necessário

No geral, o maior ponto de tensão dos exercícios de tríceps, acontece em um ângulo de 90 graus. Salvo algumas exceções, este á o ângulo que você deve usar, para manter o máximo possível de qualidade no estímulo.

Aqui entram muitas questões individuais também. Algumas pessoas, em determinadas fases da periodização, precisam de mais amplitude. Mas no geral, 90 graus é a amplitude mais usada.

Neste caso, temos o maior potencial de tensão, sem que entremos em pontos de descanso ou de mera sustentação de carga.

3- Fazer os movimentos com as escápulas em abdução

Esta é uma regra que pouca gente segue ou sabe. Como o tríceps tem uma pequena porção que passa pela articulação dos ombros, é fundamental que a posição escapular esteja adequada. Caso contrário, teremos uma postura inadequada e consequentemente, um estimulo menos eficiente.

Em praticamente todos os movimentos, é importante que você mantenha as escápulas ou em neutro, ou em adução (“fechadas”).

Isso vai melhorar a mecânica do movimento, melhorar sua postura e concentrar o estímulo da melhor forma possível, no tríceps braquial.

4- Pouca variedade de exercícios

Por mais que o movimento de extensão do cotovelo acabe sendo limitado, precisamos trabalhar com uma boa variedade de movimentos. Para isso, as variações nos exercícios “clássicos” é fundamental.

Por exemplo, no tríceps na polia alta, podemos usar barra, corda ou movimentos unilaterais. Por mais que o movimento seja igual, esta pequena modificação já trará diferenças na solicitação muscular.

Da mesma forma, no tríceps testa podemos usar barra, halteres ou a polia baixa.

Variações existem aos montes. Cabe ao seu treinador encontrar as mais eficientes para seu caso e aplica-las em seu treino.

5- Não trabalhar de forma unilateral

É fundamental, que no treino de tríceps, você tenha pelo menos um exercício unilateral, ou pelo menos, com halteres. É muito comum vermos, quando dissociamos os lados para executar um movimento, que há maior força do lado dominante. Isso é natural, mas precisa ser corrigido com o treino.

Precisamos, de uma forma mais específica, trabalhar com exercícios unilaterais, que vão fazer com que você tenha um desenvolvimento igual, de ambos os lados. Isso evita os desequilíbrios musculares, que são a causa de muitas lesões.

Leia também => 6 formas de ter um treino curto e eficiente para bíceps e tríceps

6- Excesso de volume

O tríceps braquial, ao contrário do que muitos pensam, é um músculo com uma área total grande. Porém, precisamos de um trabalho com boa intensidade e um volume controlado para que ele se desenvolva corretamente. No geral, ele é trabalhado entre 1 e 2 vezes por semana, salvo casos específicos.

Ele pode ser trabalhado juntamente com os treinos de peito, principalmente se há exercícios como o supino. Ele também pode ser trabalhado junto com o bíceps.

Mas o mais importante é o trabalho intenso e menos volumoso. Isso sim, será fundamental para trazer mais trabalho de qualidade para seu músculo.

Estes são alguns dos principais erros no treino de tríceps. Ser acompanhado por um bom profissional de educação física é fundamental. Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online. CREF: 22643-G/SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *