Página Inicial » Testosterona » Testosterona baixa: causas, sintomas e formas de evitar!

Testosterona baixa: causas, sintomas e formas de evitar!

A testosterona baixa é um dos problemas que faz com que você não consiga ter resultados em seu treino e principalmente, prejudica diretamente sua saúde!

Testosterona baixa

A testosterona é nosso principal hormônio anabólico. Como ela é presente em quantidades maiores nos homens, isto explica o fato de estes terem uma facilidade maior para eliminar gordura e para desenvolver músculos (na média). Mas e quando a produção e síntese deste hormônio fica abaixo dos níveis indicados? O que fazer? Como a testosterona baixa pode ser tratada e prevenida?

Primeiramente, é importante entender o processo de produção e síntese da testosterona dentro de nosso organismo!

Produção e síntese de testosterona

Segundo Berne (2004) A testosterona é o principal hormônio androgênico de nosso corpo. Ela é produzida naturalmente pelo organismo, através das células de Leydig, que estão localizadas nos testículos. Tanto a rodução, como a secreção deste hormônio, é regulada pelo hormônio luteinizante (LH). A testosterona apresenta pulsos (variações constantes) em seus níveis plasmáticos no sangue.

A testosterona é um hormônio predominantemente masculino. Não que as mulheres não o apresentem em seu metabolismo. Porém, nelas as concentrações são consideravelmente menores.

A testosterona é a responsável pelas características sexuais masculinas.

Um homem apresenta cerca de trinta vezes mais produção e síntese de testosterona do que a mulher.

Os níveis mais elevados de testosterona acontecem por volta dos 17 anos de idade. Depois dos 30 anos de idade, estes níveis começam a cair de forma sensível. A queda na produção e síntese de testosterona variam entre 0,5 a 1% a cada ano.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Isso faz com que a libido seja reduzida, assim como a massa óssea. Por isso, a testosterona baixa ocasiona perda de massa muscular e aumento das chances de lesão óssea.

 Média da taxa de Testosterona em fase adulta

Taxa Média de Testosterona nos Homens : 300 a 1.000 ng / dL (decilitro de sangue)

Taxa Média de Testosterona nas Mulheres: 25 a 90 ng / dL (decilitro de sangue)

Homens até 25 anos podem apresentar taxas maiores de testosterona e isso é normal. A partir dos 30 anos essas taxas tendem a diminuir.

Leia também => Testosterona – Aumente sua produção natural e tenha excelentes ganhos de massa muscular

Principais problemas que a testosterona baixa apresenta

Sendo a testosterona um hormônio fundamental para a boa saúde, é de se esperar que a sua redução seja ruim.

Um dos principais sintomas da testosterona baixa é a redução da libido. Como a testosterona é um hormônio sexual, sua redução nos níveis plasmáticos ocasiona diretamente um impacto nas funções sexuais. É comum vermos casos de pessoas que tem uma redução significativa na fertilidade por apresentar testosterona baixa.

Outro sintoma comum é o aumento da massa adiposa. A testosterona está diretamente ligada aos processos lipolíticos. Neste sentido, se ela estiver abaixo dos níveis normais, teremos uma redução na utilização da gordura como fonte energética.

Além disso, outro sintoma comum em quem apresenta testosterona baixa é a redução nos níveis de massa muscular. Por ser um hormônio altamente anabólico, a testosterona baixa ocasiona uma perda considerável de massa muscular.

Entre outros sintomas, como cansaço frequente, dificuldades para dormir e humor volátil, temos algumas características comuns.

Veja agora o que os estudos científicos falam sobre a testosterona baixa, como prevenir e melhorar este quadro!

Testosterona baixa, principais causas

Em um estudo de Caronia (2012) foram verificadas as reações que a ingestão de glicose oral traz para os níveis de testosterona. Participaram do estudo 74 homens, com idades variadas entre 19 e 74 anos. Após a ingestão de determinados níveis de glicose, foi possível verificar uma redução considerável nos níveis de testosterona.

O que isso implica na prática? Que o açúcar e muitos carboidratos simples, quando ingeridos em excesso, causam uma redução considerável em seus níveis de testosterona. Não que este seja o único elemento responsável pela baixa testosterona, mas em um quadro desfavorável, ele potencializa o processo de baixa do hormônio.

Outra causa muito comum da baixa de testosterona é a inatividade física. Como o exercício físico estimula a síntese proteica, baseada em grande parte na produção de testosterona, o exercício físico é um elemento fundamental para o aumento dela. Da mesma forma, a falta de exercícios físicos ocasiona uma redução na produção deste hormônio.

Medicação inadequada também ajuda a reduzir os níveis de testosterona. As duas substancias mais conhecidas, que causam uma redução nos níveis de testosterona, são a bromoprida e a finasterida. A primeira, usada para melhorar os processos digestórios e a segunda, para tratamento de queda de cabelo. Isso não significa que você não deva usar tais medicamentos. O que é fundamental é o acompanhamento médico, pois só ele poderá verificar se o quadro é ou não favorável ao uso de tais medicamentos.

Sintomas mais comuns da testosterona baixa

Em geral, a testosterona baixa apresenta alguns sintomas em comum. Alguns, já citados aqui. Também vale ressaltar que nem sempre a testosterona baixa apresenta sintomas, ou então, estes são confundidos com alguns outros quadros.

Leia também => Prós e contras da reposição de testosterona para homens

 Vamos aos principais sintomas da testosterona baixa!

1. Redução da libido

A libido é diretamente afetada pela redução dos níveis de testosterona. Como este hormônio é sexual, sua variação está diretamente ligada aos níveis de libido. Este é, provavelmente, um dos sintomas mais comuns.

2. Cansaço e perda de rendimento físico

A testosterona está diretamente ligada a nossa capacidade de produzir trabalho muscular. Desta maneira, se você apresenta uma perda de rendimento físico ou um cansaço sem explicação aparente, pode ser que a causa seja a redução nos níveis de testosterona.

3. Dificuldade de concentração e pensamento confuso

A testosterona está diretamente ligada a nosso sistema nervoso. Por isso, é comum que pessoas com testosterona baixa tenham dificuldades para concentrar-se em determinadas atividades, ou apresentem sintomas como pensamento confuso.

4. Mudanças drásticas de humor

Já existem indícios que relatam que a redução da testosterona está diretamente ligada a depressão na terceira idade. Mudanças bruscas de humor, sem razão aparente, são um dos sintomas mais comuns deste quadro.

5. Engordar

É muito comum que pessoas que estejam apresentando baixos níveis de testosterona, venham a engordar. Já expliquei acima que a testosterona está diretamente ligada ao processo de lipólise. Some isso ao fato de que na grande maioria dos casos há uma redução da massa muscular e teremos um quadro propenso ao aumento de gordura.

Testosterona baixa, diagnóstico

Como a testosterona está diretamente ligada a todo o funcionamento metabólico do organismo, somente um médico, de preferência endocrinologista, é que pode diagnosticar sua redução.

Os sintomas acima apresentados, não podem ser vistos isoladamente. Existe uma série de fatores, que interligados, dão ao médico endocrinologista, um cenário para o diagnóstico.

Além disso, somente com exames específicos é que poderemos ter um quadro mais detalhado e preciso.

Leia também => Anabolizante natural vs Anabolizante sintético, uma análise completa!

Formas de evitar a testosterona baixa

Existem algumas atitudes, que fazem com que você mantenha o contexto ideal para a manutenção da testosterona. Veja alguns deles!

1. Alimente-se corretamente

Este é um ponto fundamental. A dieta é um dos elementos que mais impacta a produção de testosterona. Elevados níveis de açúcar, como já citado, reduzem consideravelmente a produção de testosterona. Como este açúcar pode ser oriundo de diferentes fontes, os carboidratos simples, devemos tomar muito cuidado na dieta.

2. Busque dormir bem

O sono é o momento onde muitos hormônios são secretados. A testosterona também apresenta um aumento nesta fase. O sono adequado, facilita todo o processo de síntese e produção deste hormônio. Em compensação, a falta de sono, acarreta em uma redução dos níveis de testosterona.

3. Seja ativo!

A testosterona baixa é, em muitos casos, oriunda de falta de atividade física. O treinamento resistido, por exemplo, estimula e melhora a qualidade da síntese proteica, que é originada pela testosterona. Neste sentido, a prática de atividades físicas melhora a qualidade da secreção e utilização deste hormônio.

4. Evite ingerir medicamentos sem a prescrição médica

Como a testosterona está diretamente ligada a toda a questão metabólica do organismo, alterações advindas de medicamentos podem causar sua redução. Por isso, sempre busque ingeri medicamentos que foram indicados por médicos apenas.

5. Álcool, tabagismo e drogas

Sim, existem vários estudos que mostram que a ingestão constante de bebidas alcoólicas, o tabagismo e o uso de drogas, não só diminuem os níveis de testosterona, como também afetam a sua produção.  Alias, o uso excessivo e constante pode afetar permanentemente. Com mais um adendo! Não apenas afetam a testosterona, o maior hormônio anabólico, como também afetam o segundo maior hormônio anabólico, o GH (hormônio do crescimento).

Já abordamos com mais profundidade esse tema em outro artigo aqui no site, e explicamos como esses excessos afetam inclusive os resultados na musculação, e não afeta pouca coisa não!

Para finalizar essa parte, quando citamos drogas, inclua ai também a maconha. Existem estudos contundentes que mostram que a cannabis sativa afeta os níveis de testosterona e GH. Os estudos citados se encontram ao final do artigo.

Estas são algumas das atitudes para que você possa prevenir a testosterona baixa. Mas e quando você já está com os níveis baixos? O que fazer? 

Tratamento para testosterona baixa

A resposta mais comum e óbvia seria a reposição hormonal. Porém, ela nem sempre é indicada. Em alguns casos, somente uma mudança no estilo de vida, já traz estes benefícios.

Em casos mais complexos, a terapia de reposição de testosterona (TRT) pode sim ser uma saída. Porém, ela deve ser feita apenas sob a prescrição de um médico. Além disso, é o médico que irá elaborar os níveis de aplicação.

Leia também => GH, hormônio fundamental para a hipertrofia e definição

O que fica claro com tudo isso, é que a testosterona é fundamental para nosso metabolismo. Se ela estiver baixa, teremos problemas de saúde e qualidade de vida. Uma vida saudável auxilia na melhora dos níveis, mas casos extremos devem ser acompanhados por um médico endocrinologista.

Jamais tome medidas sem o devido acompanhamento profissional! Bons treinos!

Referências:
Fisiologia. Robert M. Berne, Rio de Janeiro. Editora Elsevier, 2004
CARONIA, LM. Abrupt decrease in serum testosterone levels after an oral glucose load in men: implications for screening for hypogonadism. Clin Endocrinol (Oxf). 2013.
Alcohol and the male reproductive system. Emanuele MA1, Emanuele N. Alcohol Res Health. 2001;25(4):282-7.   – www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11910706
Ethanol, growth hormone and testosterone in peripubertal rats. Tentler JJ1, LaPaglia N, Steiner J, Williams D, Castelli M, Kelley MR, Emanuele NV, Emanuele MA.  – www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9071969
Sex hormones and adrenocortical steroids in men acutely intoxicated with ethanol. Välimäki MJ, Härkönen M, Eriksson CJ, Ylikahri RH. Alcohol. 1984 Jan-Feb;1(1):89-93.   – www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/6443186
Effect of alcohol consumption on bone mineral density and hormonal parameters in physically active male soldiers. Bone. 2009 Sep;45(3):449-54. doi: 10.1016/j.bone.2009.05.005. Epub 2009 May 18.   – www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19450718
Acute effects of smoking marijuana on hormones, subjective effects and performance in male human subjects. Cone EJ, Johnson RE, Moore JD, Roache JD. Pharmacol Biochem Behav. 1986 Jun;24(6):1749-54.   – www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/3016764
Endocrine Effects of Marijuana Todd T. Brown, MD, and Adrian S. Dobs, MD, MHS   – www.ukcia.org/research/EndocrineEffects.pdf

Sobre Treino Mestre

Artigos assinados pelo Treino Mestre são escritos pela nossa equipe de profissionais de Educação Física, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Atletas e demais colaboradores ligados a saúde e ao esporte.

  1. Que suplementos eu posso tomar para aumentar a testosterona

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!