Página Inicial » Emagrecimento » Sibutramina continuará sendo comercializada no Brasil

Sibutramina continuará sendo comercializada no Brasil

ANVISA aprovou depois de 12 meses de testes o emagrecedor a base de cloridrato de sibutramina e o medicamento deve continuar no mercado.

Foto Divulgação

Sendo criado, inicialmente, como antidepressivo, a Sibutramina é um poderoso inibidor de apetite, o que a torna tão procurada para consumo. A principal área do organismo que a sibutramina age é no hipotálamo cerebral, bloqueando a recaptação da serotonina e da noradrenalina. Eles trabalham levando informações entre os neurônios. Essa ação diminui o apetite, causando a sensação de saciedade por danificar o processo de comunicação entre os neurônios em relação à alimentação. Dessa forma, o medicamento faz com que as pessoas continuem se alimentando, porém consumindo porções menores, e, consequentemente, ocasionando o emagrecimento de maneira gradativa.

Durante o desenvolvimento da sibutramina como antidepressivo, o médicos conseguiram constatar sua atual função, a de causar saciedade nos pacientes que a usavam, tornando o medicamento exclusivo para o uso por pessoas que necessitam emagrecer.

Vendo isso até parece que o remédio é um novo milagre para as pessoas que sentem dificuldade em emagrecer, só que ele também tem os contras. Entre os principais efeitos colaterais que foram vistos por pacientes que usaram o remédio, o apetite excessivo (reação contrária ao princípio ativo do medicamento), insônia, tontura, náusea, mudança nos hábitos sexuais e intestinais, entre outros, são alguns deles. Contudo, não existem estudos aprofundados nesse campo em relação ao medicamento.

Ao final de 2011 os pontos em desacordo em relação ao uso desse medicamento começaram a sobressair, especialmente depois que três outros inibidores de apetite foram proibidos no Brasil, o femproporex, mazindol e anfepramona. Mesmo com a proibição desses medicamentos, não foi visto uma migração de pacientes para a Sibutramina, pois não foi notificado um aumento considerável de vendas do remédio por conta dessa situação.

A liberação da sibutramina pela ANVISA somente foi feita a partir de alguns limites e regras bem rígidas, tendo em vista a possibilidade do uso de maneira errônea pelos pacientes. Além das restrições que já existiam, que eram uma tentativa de inibir a comercialização do medicamento, foi adicionado a diminuição da validade da prescrição médica para a compra do medicamento.

Com essas proibições, a Comissão de Seguridade Social e Família tem discutido o poder da ANVISA em proibir ou liberar certos medicamentos. Alguns deputados que fazem parte da comissão relatam que é importante respeitar o conhecimento do médico ao avaliar o paciente e prescrever o medicamento, não dando tanto poder à ANVISA para retirar certos produtos do mercado.

É importante salientar que esse medicamento só pode ser comercializado perante a apresentação dos termos de consumo, além de ter sido prescrevido pelo médico depois de uma avaliação completa da situação do paciente. O uso indiscriminado pode acarretar muitos problemas ao organismo e é contra a lei.

Sobre Raquel Torres Costa Bressan

Leia também

Cactínea – Para que serve, benefícios no emagrecimento e onde comprar

A cactínea é um termogênico natural, feito à base de cactos e que tem como …

Morosil emagrece? Veja sua composição, relatos e onde comprar

Veja uma resenha completa sobre o emagrecedor Morosil. Como ele atua no corpo, como tomar …

  1. Claudinete Dos Santos

    Olá amigos eu vi passar na tv gostaria de saber como comprar,já que aqui é cidade pequena os médico não passa a receita para nós desde já eu agradeço obrigada.

  2. Odair José da silva

    já tomei o sibutramina e perdi peso,só que foi proibido como faço para comprar novamente obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!