Página Inicial » Saúde » Pygeum Africanum – Para que serve, dosagem e efeitos colaterais

Pygeum Africanum – Para que serve, dosagem e efeitos colaterais

O Pygeum Africanum tem apresentado resultados satisfatórios nos tratamentos relacionados a próstata e também para calvície e homens com problemas de ereção e infertilidade. Veja mais sobre essa substância agora!

Pygeum Africanum

O que é o Pygeum Africanum:

O pygeum africanum é uma substância extraída da sua casca de uma árvore com nome de rosácea da África do Sul, popularmente conhecida como ameixeira africana,madeira-de-ferro ou cereja-africana é com essa substância ativa que é produzido o fitoterápico de mesmo nome.

O extrato é rico em fitoesteróis, triterpenos, éster fenólico, ácidos graxos de cadeias longas, taninos e ácidos graxos.

O fitoterápico é composto pelo extrato de pygeum e outros fitoquímicos como o ácido ferúlico e ésteres, é vendido em forma de cápsulas de 50mg ou 100mg.

Para que serve:

Seu uso para tratar problemas urinários e sexuais masculinos vem desde a colonização africana.

Na europa é utilizado desde 1960 como tratamento para a hiperplasia benigna prostática.

Acredita-se que o pygeum africanum junto com os outros fitoquímicos presentes na sua fórmula trabalham para auxiliar minimizando as alterações estruturais e bioquímicas que acometem aqueles que sofrem com a hiperplasia prostática benigna e evitando que novos sintomas apareçam.

Outro problema que vem sendo tratado com o fitoterápico é a queda de cabelo, através do extrato seco de pygeum africanum e saw palmetto.

Indicações de uso:

O produto é indicado para homens que sofrem com a calvície masculina ou que sofrem com a hiperplasia benigna prostática (HBP) e outros sintomas derivados dessa doença.

No tratamento da calvície o pygeum atua inibindo a conversão da testosterona em di- hidrotestosterona, reduzindo a queda de cabelo já que este hormônio(di-hidrotestosterona) é o responsável pelo enfraquecimento e queda dos fios.

Leia também:

11 Melhores Remédios e Suplementos para Queda de Cabelo e Calvície

A ação do pygeum africanum no combate à queda de cabelo é no fortalecimento e na prevenção à queda do fio e não no estímulo à produção de novos fios.

A hiperplasia benigna prostática é um aumento da próstata que ocorre naturalmente durante o processo de envelhecimento do homem sem causar consequências à saúde.

Durante o processo de envelhecimento os níveis de testosterona diminuem fazendo com que a proporção de estrogênio aumente, e esse aumento acarreta no aumento da próstata.

Em alguns casos, 1 em cada 5 homens, esse crescimento vem junto com outros sintomas como:

  • Polaciúria: necessidade de urinar com mais frequência;
  • Disúria: dor para urinar;
  • resíduo de urina mesmo após urinar: sensação de não ter urinado completamente, sensação de bexiga sempre cheia;
  • incontinência urinária: não consegue controlar a bexiga, sente urgência em urinar;

Os sintomas podem aparecer independente do grau da hiperplasia, em alguns casos já avançados os homens relatam não sentir qualquer desconforto, já em outros em que a doença está na fase inicial é possível ver o aparecimento dos sintomas de forma intensa.

Benefícios do uso do Pygeum Africanum:

1° Tratamento da próstata

O pygeum age como inibidor da produção de fibroblastos e outros fatores de crescimento como o b FGF e EGF, que são atuantes na evolução da hiperplasia benigna prostática.

Outra função é a anti- inflamatória que ocorre pelos beta-sitosterois que agem inibindo a produção de prostaglandinas na próstata.

Ainda existem outros fitoquímicos presentes no produto que juntos atuam para combater as mudanças físicas e químicas que ocorrem pela hiperplasia benigna prostática.

2° Diminui o colesterol

Também age estimulando secreções das glândulas, diminui os níveis de colesterol e reduz o inchaço da próstata.

3° Ereção e infertilidade

O pygeum também é utilizado por homens com problemas de ereção e infertilidade.

Leia também:

Tadalafil para disfunção erétil – Veja para que serve, efeitos colaterais, preço e onde comprar

Estudos relacionados à eficácia do Pygeum Africanum:

Um estudo duplo cego, foi realizado na frança com 209 pacientes,onde um grupo ingeria duas doses diária de 50mg e outro grupo recebia uma dose diária de 100mg, com duração de 12 meses.

A proposta do teste era ver a eficácia das dosagens e a efetividade do tratamento.

Os resultados mostraram que ambas as doses são igualmente eficazes, os pacientes apresentaram melhoras dos sintomas e não foi descrita nenhuma alteração apesar do tempo de duração do teste.

Outro teste publicado em 1991 numa revista de urologia italiana, avaliou 18 pacientes com problemas de disfunção erétil e ejaculação dolorosa que receberam doses do fitoterápico diariamente durante 60 dias.

Ao final foi possível perceber melhora na função sexual dos paciente durante o tratamento e após seu término.

Dosagem recomendada:

A dosagem recomendada pelos fabricantes é de 1 a 2 cápsulas de 50 mg por dia ou 1 cápsula de 100 mg por dia.

A cápsula deve ser ingerida com água em pouca quantidade, somente o necessário para engolir o comprimido.

A cápsula deve ser ingerida inteira, não devendo ser mastigada ou partida.

O tratamento pode durar de de 6 a 8 semanas, pode ser repetido após uma pausa de 4 a 6 semanas.

Nenhum medicamento deve ser tomado sem orientação médica. Antes de iniciar qualquer tratamento, seja ele com medicamento ou fitoterápico, é indispensável que um médico ou nutricionista seja consultado, para que o profissional conheça o caso e avalie a real necessidade de utilização do medicamento, e assim indique a melhor posologia para o caso específico.

Sob avaliação médica o tempo e a dosagem podem variar para mais ou menos que a indicação.

O desaparecimento dos sintomas não deve excluir o acompanhamento médico para tratar o caso.

Leia também:

6 Remédios caseiros e naturais para aumentar o apetite sexual

Contraindicações:

O consumo é contra indicado à pessoas com intolerância ou alergia a algum dos componentes.

Não há estudos que comprovem qualquer outro tipo de contra indicações, podendo ser utilizado até mesmo por pessoas com mais de 65 anos.

Ao sinal de qualquer reação um médico deve ser consultado.

Efeitos colaterais:

Quando ingerido da forma correta o fitoterápico não apresenta efeitos colaterais, porém, se tomado em grandes doses pode ocasionar intolerância gástrica e alergias cutâneas, ambas transitórias, ou seja, desaparecem após descontinuar o uso ou utilizar dosagem correta.

Sobre Treino Mestre

Artigos assinados pelo Treino Mestre são escritos pela nossa equipe de profissionais de Educação Física, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Atletas e demais colaboradores ligados a saúde e ao esporte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend