Página Inicial » Treinos » Posso combinar diferentes métodos de treino na mesma sessão?

Posso combinar diferentes métodos de treino na mesma sessão?

A utilização de diferentes métodos de treino, em uma mesma sessão, traz dúvidas e muitos erros conceituais. Veja agora alguns elementos a serem levados em conta ao usar diferentes métodos de treino na mesma sessão!

Diferentes métodos de treino

Uma coisa que venho aprendendo com o passar do tempo é que muitas coisas que aparentemente estão erradas, devem ser vistas de óticas diferentes para serem julgadas. Se formos pegar alguns “manuais” de musculação, veremos algumas discrepâncias com a realidade. E sabemos que é ali, na prática, que muitas dúvidas surgem.

Nessa hora separamos os homens dos meninos. Por isso, usar os métodos de treino mais adequados e principalmente, nos momentos e da forma correta é fundamental! Mas será que consigo usar dois métodos diferentes, na mesma sessão e ainda assim ter resultados positivos?

Esta é uma questão complexa e que precisa ser muito bem pensada. Aqui, já quero te dizer que não te darei uma resposta pronta, mas sim um caminho a seguir. Tudo depende de quem é a pessoa treinada. O princípio da individualidade biológica é fundamental neste ponto!

Antes de falarmos especificamente disso, temos que entender quais são os principais métodos de treinamento e de que forma eles são aplicados. Já falamos de grande parte deles! Estes são os métodos de treino mais usados:

É óbvio que se formos procurar, existem milhares de outros métodos. Porém, estes citados aqui são os mais usados. Além disso, como não vou te dar uma resposta pronta e sim um caminho para que você analise o que é melhor em cada caso.

Diferentes métodos de treino na mesma sessão, por onde começar?

Quando falamos em métodos de treino, estamos falando em estratégias para sair do “tradicional” e buscar melhores resultados. Portanto, aqui já deixamos claro que não há a necessidade de usar estes métodos em alguém iniciante ou sedentário (a não ser em casos muito específicos). Além disso, todos os métodos de treinamento têm alguma limitação e devemos minimizá-la, usando-os no momento correto.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Como dentro de uma periodização temos diferentes momentos em que buscamos objetivos específicos, é muito importante usar estes métodos dentro de uma perspectiva mais assertiva.

Por isso, antes de falarmos da utilização de diferentes métodos dentro de uma mesma sessão, temos que discutir algo muito mais importante: em quais momentos devemos usar métodos de treinamento?

Cada método, seja os que foram apresentados aqui ou outros, tem objetivos específicos muito claros. Para entender melhor isso, temos que buscar a compreensão do conceito de estímulos. Neste artigo, já mostramos as diferenças entre os estímulos tensionais e metabólicos.

Todo e qualquer método de treino, tem como base um destes estímulos de forma mais acentuada. Por isso, antes de usar cada método, temos que verificar o que de fato ele irá trabalhar de forma mais acentuada. Desta forma, saberemos em que momento utilizá-los, dentro da periodização.

Como analisar cada um dos métodos nos tomaria muito tempo, vou analisar um deles para que você entenda, o Drop-set.

Escolhi este método justamente por ele ser um dos mais usados e surtir efeitos interessantes. Basicamente, ele consiste na realização de um movimento até determinado ponto (geralmente a falha concêntrica ou um determinado número de repetições).  

Após atingir tal ponto, reduzimos a carga imediatamente, de 20 a 30% e executamos novamente algumas repetições. Isso faz com que tenhamos mais tempo de repetições e consequentemente, mais contrações. Com a redução da carga, temos aumento do pump muscular e das microlesões.

É um método bom? Ele é fantástico, mas usado no momento certo. Um dos principais pontos do Drop set é que ele é muito mais metabólico do que tensional. Justamente por ter um número mais alto de repetições e a carga ser reduzida durante a série, temos menos mecanismos tensionais envolvidos. Portanto, em épocas da periodização onde focamos no aumento da força, usa-se menos este método de treino.

Se formos pegar cada um dos métodos que já mencionei, todos eles têm melhores aplicações em determinados objetivos e épocas da periodização. Mas e quanto a usar mais de um método na mesma sessão, será que é possível? É o que vou te responder agora!

Posso usar métodos diferentes de treino na mesma sessão? Como fazer isso?

A resposta é simples: sim, podemos! Sempre? Não! Usar diferentes métodos na mesma sessão é uma estratégia que pode sim ser usada e que pode potencializar os resultados. Porém, não é algo muito fácil de ser feito, dadas as diferentes variáveis envolvidas. Cada método tem vantagens e desvantagens e precisamos unir o que cada traz de melhor, para potencializar os resultados.

Existem muitos fatores envolvidos e caso eles não sejam analisados adequadamente, teremos perda de qualidade e maiores chances de lesões. Você deve estar achando isso tudo muito evasivo, não é? Então vou dar alguns exemplos práticos.

Imagine um treino visando estímulos metabólicos. Ou seja, estamos precisando de uma carga um pouco menor, mais repetições, intervalos de descanso reduzidos. Tudo isso, mantendo a técnica de movimento totalmente segura.

Neste caso, podemos usar o Drop set, que como já falei, é um método muito interessante do ponto de vista metabólico. Para complementar ainda mais o trabalho, podemos usar em determinados movimentos o drop set e também o rest pause, que apesar de características diferentes, tem uma predominância dos estímulos metabólicos.

Esta combinação pode ser feita de muitas formas, como por exemplo, no mesmo exercício ou em diferentes, ou ainda de forma alternada. Aqui, a experiência e conhecimento do treinador é fundamental!

Isso porque as combinações são quase que infinitas e cada uma delas produz diferentes resultados. Saber combinar os diferentes métodos é um desafio grande, mas que traz resultados fantásticos.

Então, recapitulando tudo isso:

– Inicie entendendo que tipo de estímulo cada método de treino produz e de que forma podemos usá-lo para termos melhores resultados.

– Encontre métodos que são complementares entre si e que dentro da perspectiva do micro e mesociclo, se enquadrem de uma forma, que os resultados sejam potencializados.

– Planeje muito bem a intensidade e o grau de utilização de cada método e a forma que ele será implementado dentro da rotina de treinos.

– Avalie sempre os resultados.

Desta maneira, você terá a certeza que está usando de forma correta a combinação de métodos. Aos mais atentos, ficou claro que com uma boa periodização e conhecimento do treinador, é possível usar diferentes métodos de treino na mesma sessão, potencializando consideravelmente os resultados. Porém, se isso for feito de forma irresponsável e sem objetivo, as chances de lesão aumentam consideravelmente. Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.
CREF: 22643-G/SC

Leia também

Treino de pernas e ombros para iniciantes, dicas práticas

A divisão de treino de pernas e ombros para iniciantes é uma alternativa bastante interessante …

Treino de peito e tríceps para iniciantes, dicas importantes!

O treino de peito e tríceps para iniciantes tem determinadas particularidades, que precisam ser levadas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!