Página Inicial » Estética » Peeling facial – Saiba como funciona e quais as indicações

Peeling facial – Saiba como funciona e quais as indicações

Conheça as indicações para cada tipo de peeling, de que forma agem e quais as contraindicações do tratamento.

O peeling facial é um procedimento muito lembrado quando se trata da questão rejuvenescimento. Ele é uma alternativa não cirúrgica para deixar ou manter a pele mais lisa, macia, sem rugas ou manchas, mais jovem e saudável. Além disso, existem vários tipos de peelings, onde o profissional irá avaliar sua pele e decidir qual é o tipo que mais se adapta, e que mais trará efeitos ao seu tipo de pele. Vamos conhecer mais sobre essa forma tão utilizada em busca de uma pele mais bonita.

peeling facial tratamentoO que é o peeling e o que ele faz?

O peeling é uma técnica que tem o propósito de estimular a produção de colágeno e elastina na pele, que são proteínas responsáveis, consequentemente, por manter um aspecto de firmeza e elasticidade na pele. Ou seja, o peeling irá atuar promovendo a renovação celular, fazendo a remoção das células mortas, permitindo a regeneração da derme, prevenindo assim a aparência envelhecida e outros aspectos tão incômodos que ocorrem no rosto, além disso, traz mais suavidade, maciez e saúde para a pele. Ele age de modo a promover um processo de esfoliação que produz a descamação da pele (retirando as células envelhecidas, e que já não estão mais cumprindo sua função), e logo após, fornece a regeneração do tecido, melhorando seu aspecto e textura.

Camadas da pele

O peeling exerce sua função nas diferentes camadas da pele, de acordo com o tipo (peeling físico, químico ou laser) e intensidade ou concentração, atuando mais superficial, intermediário ou profundamente. A pele é formada por três camadas: epiderme (mais superficial), derme (intermediária), e hipoderme (profunda), sendo que esta última camada já é considerada um tecido subcutâneo, chamado também de tecido adiposo, não abrangente ao peeling, tornando a derme a camada mais profunda atingida pelo procedimento. Cada camada possui subdivisões onde se encontram células de diferentes formas e tipos.

O peeling mais superficial atinge a camada da epiderme, é menos agressivo, e diminui imperfeições mais externas da pele. O intermediário alcança as subdivisões das camadas, encontradas mais no meio (como o nome já diz) da pele e abrange pouco mais que o superficial. O mais profundo, atinge a camada da epiderme e derme, agride mais a pele, e trata alterações mais profundas.

Tipos de peeling

Existem 3 tipos de peelings: químicos, físicos e à laser. A diferença entre eles se dá na forma que é feita a descamação da pele. O critério para o uso de determinado tipo, acontece com a avaliação da pele, observando o tipo de pele, coloração, alterações, e de acordo com o objetivo do procedimento.

Peeling químico: a descamação é feita por meio da utilização de ácidos, eles podem agir superficialmente, na região média, ou profundamente, sendo os mais conhecidos, os ácidos retinóico, glicólico, salicílico, hialurônico e fenol.

Aqui, a escolha do ácido e da concentração dele, também varia de acordo com o tipo de pele, da profundidade que deseja alcançar para o tratamento e quais resultados deverão ser obtidos.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Superficial: O peeling químico que atinge a camada superficial causa uma descamação fina, não interferindo ou atrapalhando a rotina do paciente. Melhora a estrutura tecidual, e consequentemente, a aparência, diminuindo manchas e amenizando rugas finas, além de promover a estimulação da renovação do colágeno, que confere firmeza à pele.

Médio: promove uma descamação mais espessa e escura que o superficial, necessitando de muito mais cuidado em todas as atividades diárias. É mais indicado quando a pele apresenta asperezas e rugas mais pronunciadas, e até mesmo cicatrizes e acne. O peeling médio renova as células a partir de uma camada mais intermediária da pele, clareia manchas e diminui alterações, como rugas, cicatrizes, acne e alguns tipos de lesões pré-cancerosas.

Profundo: é o mais agressivo dos peelings, pois provoca uma descamação muito espessa, e demora mais tempo a recuperação, além de necessitar de muitos cuidados no pós-peeling. Em contrapartida, os resultados são muito bons, sendo possível atingir uma camada mais profunda, trazendo uma renovação celular mais eficiente, diminuição de rugas mais profundas, e cicatrizes mais profundas de acne.

Peeling físico: Faz a descamação e esfoliação por meio de processos mecânicos. Os aparelhos fazem um lixamento sutil da pele, para que as células envelhecidas e mortas saiam, dando lugar a uma nova camada de células, aumentando a vascularização local (melhora da circulação sanguínea) e estimulando a produção de colágeno. Existem 2 tipos de peeling físico:

Peeling de cristal: é feito por microdermoabrasão, uma esfoliação é feita na pele com microcristais de óxido de alumínio, sendo capaz de atenuar cicatrizes, acnes, rugas finas e manchas. Atua no rejuvenescimento, além da aparência e textura da pele.

Peeling de diamante: acontece por microdermoabrasão superficial, neste caso, é executado com uma ponteira de caneta e uma lixa diamantada, promovendo uma microesfoliação, utilizada para eliminar a camada mais externa da pele, atenuando ou eliminando manchas, rugas, cicatrizes e acnes, conferindo mais maciez e elasticidade à pele.

Peeling à laser: é uma forma mais recente de peeling, e ainda estão sendo desenvolvidas tecnologias e métodos em cima deste tipo. O laser age diretamente no tecido, com a incidência do seu feixe de luz, trazendo resultados precisos, no entanto, sua recuperação pode ser um pouco mais lenta e a hiperemia (vermelhidão) no rosto, pode permanecer por mais tempo.

Seu princípio é o mesmo que os outros modos, também pode atingir superficial, intermediário ou profundamente, e atua removendo a camada superficial da pele, abrindo espaço para outra camada mais rejuvenescida, e além disso, faz uma escamação mais profunda, sendo mais eficiente na reativação da produção de colágeno.

O tipo de laser mais comum é o de CO2 fracionado, ele utiliza uma luz interrupta, ou seja, como se fosse pontinhos com espaços, tipo uma peneira. Ele não engloba toda a superfície da pele, deixando algumas partes íntegras, trazendo uma recuperação mais rápida, com menos incidência de complicações, e com resultados muito positivos.
Indicações

Pele áspera, espessa ou desidratada; sardas, melasmas (manchas escuras) e outras manchas senis; rugas; cicatrizes; hiperpigmentação pós-inflamatória; acne e rejuvenescimento.

Contraindicações do Peeling

Principais: Herpes e infecções locais; alergia ao componente que será utilizado; gestação; alguns casos de cardiopatias; defeitos na cicatrização da pele; imunodeficiências; doença hepato-renal.

Cuidados pré e pós peeling

Alguns procedimentos devem ser seguidos, e alguns cuidados devem ser tomados, antes e depois do peeling. Claro, esses também variam um pouco quanto ao tipo de peeling, e o profissional escolhido para efetuar a técnica irá lhe falar direitinho o que e como deve fazer. Mas os principais e que se aplicam no geral são:

Antes: Você será avaliado e receberá instruções de como a pele deverá ser preparada, com algum tipo de creme para acelerar o processo de renovação celular e evitar possível complicações. Além de usar diariamente o protetor solar facial próprio para sua pele.

Após: Evitar se expor ao sol; usar protetor solar fps 40 ou maior, e aplicar várias vezes por dia; tomar muito cuidado ao usar maquiagem, e respeitar o tempo que deverá ficar sem usá-la; não usar esfoliantes e somente utilizar cremes prescritos pelo profissional; cuidar com a água quente sobre a pele tratada, além de jamais puxar ou arranhar os excessos provenientes do peeling, para não causar danos à pele, ou mesmo formar cicatrizes.

Como constatamos acima, o peeling tem vários benefícios, efeitos muito satisfatórios contra envelhecimento da pele, rugas, cicatrizes, acnes, manchas, melhora da textura, maciez e espessura, entre outras imperfeições da pele. A quantidade das sessões e a duração dependem muito de cada conduta e objetivos, e o custo também varia de acordo. A sensação na hora da aplicação pode ser de uma espécie “pinicamento”, ardor ou queimação na face, mas extremamente suportável. Outro ponto positivo do peeling, é que ele raramente causa reações adversas ou negativas, sendo muito eficiente no que ele propõe fazer. No entanto, só trará bons resultados com a escolha de um profissional de confiança para aplicar, e seguindo todos os passos essenciais no pré e pós – peeling, você terá a melhor efetividade do procedimento.

Sobre Jeniffer Manfrini

Fisioterapeuta formada pela Uniasselvi Fameblu, apaixonada pela incrível máquina que é o nosso corpo humano, sempre em busca de novos conhecimentos e experiências. Atua como estagiária pela faculdade e é uma futura pós-graduanda em dermato-funcional.

Leia também

Óleo de Rícino – Para que serve, benefícios e onde comprar

Estudos recentes tem mostrado que o óleo de rícino (ou óleo de mamona) pode auxilar …

Óleo de Argan – Para que serve, benefícios e como usar

Rico em vitamina E, o óleo de argan e muito utilizado para o tratamento do …

  1. Adorei o Assunto me ajudou bastante. Amei

  2. Fiz o peeling a dois dias e esta muito inchado meu rosto. È normal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!