Página Inicial » Emagrecimento » Para emagrecer basta fazer HIIT?

Para emagrecer basta fazer HIIT?

Uma pergunta muito comum e que muitas vezes é complexa de ser respondida. Veja neste artigo se para emagrecer basta fazer HIIT em seu treino!

Só o HIIT emagrece?

Houve um tempo em que as respostas sobre quais os melhores treinos para o emagrecimento eram relativamente simples, pois o exercício aeróbico de baixa intensidade e longa duração era aposta certa. Mas aí a ciência veio e confundiu tudo, mostrando que esta não é a opção mais viável, sustentável e eficiente. Hoje, já sabemos que a intensidade é fundamental para quem busca emagrecer, para que possamos ter um resultado ainda melhor. Mas será que basta fazer o HIIT (treinamento intervalado de alta intensidade) para termos bons resultados?

A resposta para isso é um pouco complexa, pois o processo de emagrecimento no geral, ainda intriga a ciência e o que temos hoje são apostas, mas nenhuma resposta em definitivo. Até por que o processo de eliminação de gordura corporal precisa ser visto em um contexto, levando em consideração os fatores psicológicos e funcionais. Nem todas as pessoas podem começar a fazer um HIIT com a máxima eficiência!

Por isso, o primeiro ponto a ser avaliado é o contexto geral.

Emagrecer com HIIT, depende do contexto!

O primeiro ponto a ser levado em conta é a pessoa que vai começar a treinar. Como já mencionei em outros artigos, a intensidade é um fator bastante relativo. O que é intenso para mim, pode não ser para você e vice-versa. Por isso, se você é uma pessoa sedentária, precisa ter um certo cuidado com a utilização do HIIT logo no início de seus treinos.

Você precisa melhorar todas as qualidades físicas e orgânicas envolvidas em seu treino, para poder então, ter um incremento de intensidade. Por isso, nestes casos, somente o HIIT pode não ser uma boa saída.

Mas lembre-se que falei que tudo isso vai depender do indivíduo. É possível fazer o HIIT de uma maneira um pouco menos intensa que o habitual, para que possamos montar uma base de trabalho.

Mas no geral, o HIIT é sim a atividade mais indicada para quem quer emagrecer, por inúmeros motivos que já mostrei em outros artigos.

O primeiro deles é o EPOC. Basicamente, o EPOC diz respeito ao gasto calórico que o corpo tem após o término da atividade realizada, para que possa recuperar os substratos energéticos e a estrutura muscular. Neste sentido, o EPOC apresenta um resultado muito mais eficiente do que os exercícios de baixa intensidade.

O segundo ponto a ser destacado é o efeito compensatório (Efeito compensatório, entenda o que é e como ele influencia seus resultados). Nosso corpo tem uma característica bastante peculiar, que é sempre tentar manter o equilíbrio homeostático. Desta maneira, é um mecanismo normal buscar manter o equilíbrio entre os substratos energéticos. Como em uma atividade intensa temos como principal fonte energética o glicogênio, a tendência natural é que o corpo use os lipídios no pós-treino para a recuperação.

Assim sendo, se você realizar um exercício onde o combustível principal forem os lipídios (aeróbico de baixa intensidade). Esta é uma das bases que fazem com que o HIIT seja uma atividade de grande eficiência no processo de emagrecimento.

Mas será que apenas o HIIT, pensando em longo prazo, é o suficiente para o processo de emagrecimento e de sua manutenção?

Para emagrecer o HIIT é o suficiente?

Minha resposta novamente pode ser considerada inconclusiva, mas vou te dizer que tudo depende! O processo de emagrecimento não pode ser visto apenas como a perda de gordura corporal (e muito menos apenas como perda de peso!). Um dos pontos mais importantes é a questão da sustentabilidade do processo. Não basta emagrecer, você precisa se manter magro (a)!

Neste sentido, o HIIT apresenta uma limitação. Como no geral ele se baseia em movimentos amplos, mas com pouca capacidade tensional (temos uma enorme predominância metabólica no HIIT) a tendência é que ele não promova um aumento de massa magra tão acentuado.

De maneira alguma isso quer dizer que não haverá desenvolvimento muscular com a prática correta do HIIT, mas não algo que venha a ser considerado relevante em longo prazo. Aqui entramos na questão da especificidade, pois o HIIT não é feito ou desenvolvido para que haja um aumento considerável do tecido muscular.

Agora chegamos em um ponto importante! Para quem busca um processo saudável e sustentável de emagrecimento, precisa pensar de maneira especial no metabolismo basal. Neste artigo, já mencionamos sobre a sua importância (5 dicas para aumentar seu metabolismo basal e emagrecer de vez).

Neste sentido, já ficou claro que o HIIT é muito eficiente, mas no geral, ele precisa ser feito com complemento de outras atividades. Sem que haja um aumento da massa muscular, fica mais complexo manter o aumento da massa muscular. Por isso, é muito importante que além do HIIT, você considere fazer uma atividade resistida, para que haja um aumento da massa muscular.

Não necessariamente precisa ser a musculação em si. Modalidades como o treinamento funcional, ou até mesmo o Pilates ou a Yoga, podem ser úteis neste processo.

No geral, o processo de emagrecimento sustentável se dá com a correta utilização do HIIT e do treinamento resistido. Neste sentido, uma organização do treino em que ambas as possibilidades sejam aplicadas de maneira correta. Por serem treinos que por ordem, não são concorrentes, é preciso estabelecer um planejamento específico para que não haja overtraining e a supercompensação ocorra.

Como usar o HIIT e o treinamento resistido para o emagrecimento

De maneira geral, o treinamento resistido aplicado ao emagrecimento, tem que ser pensado em torno da intensidade mais elevada. Neste sentido, toda a periodização para o emagrecimento tem que ser estruturada para o incremento da intensidade no treinamento resistido.

Neste sentido, temos duas atividades intensas, que precisam de um cuidado especial com a questão do descanso. Usar o HIIT e a musculação no mesmo treino pode ser muito útil, mas é preciso tomar cuidado com o controle das cargas e da intensidade. Se o treinamento resistido for feito com elevada intensidade e o HIIT também, o tempo de recuperação precisa ser suficiente.

Se possível, o mais correto é usar o HIIT e o treinamento resistido em sessões diferentes, para manter o metabolismo elevado durante mais tempo.

Leia também: Treino HIIT – Indicações e progressões

Mas tudo isso vai depender da maneira como você se enquadra, bem como sua rotina e sua individualidade. No geral, podemos dizer que fazer apenas HIIT não torna o processo de emagrecimento sustentável em longo prazo. O principal ponto é justamente o aumento da massa muscular.

Por isso, se você vai começar a treinar agora com objetivo de emagrecer, até pode usar só o HIIT no início, mas em longo prazo, tome como meta, incrementar seu treino com alguma atividade resistida. Ela será a base da manutenção de seu processo de emagrecimento. Além de tudo isso que foi citado, é muito importante que sua dieta seja baseada nestes objetivos. Sem ela, não haverá chances de você emagrecer e se manter assim! Bons treinos!

Leia também

Morosil emagrece? Veja sua composição, relatos e onde comprar

Veja uma resenha completa sobre o emagrecedor Morosil. Como ele atua no corpo, como tomar …

Termogênicos – O que são, Para que serve, se faz mal e como tomar

Saiba como funciona a ação dos termogênicos no organismo. Quais seus benefícios e efeitos colaterais. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!