Página Inicial » Emagrecimento » Noni – Conheça as propriedades e benefícios da polêmica fruta

Noni – Conheça as propriedades e benefícios da polêmica fruta

Apesar da fruta noni apresentar alguns benefícios, especialistas garante que seu consumo pode fazer mal. Saiba o que eles dizem, para que ela serve e se emagrece mesmo.

Fruta Noni

A fruta, de denominação científica Morinda citrofolia Linn, se caracteriza fruto da árvore de porte médio, com origem na Ásia e Polinésia, e que teve boa adaptação em relação ao clima do Brasil de maneira a produzir frutos pelo ano inteiro.

Pelo Sudeste Asiático, esta fruta tem uso em medicina popular para tratar várias doenças. Pelas últimas décadas, ocorreu aumento relevante na ingestão do fruto e próprios derivados no país.

No entanto, a ingestão de noni se resume polêmica no Brasil por causa da falta dos estudos com conclusão acerca da fruta e derivados dela. E várias pesquisas apontaram toxidade de sucos e preparações com esta fruta. Desta maneira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ANVISA, fez proibição do comércio de qualquer alimento apresentando noni como ingrediente.

Propriedades do Noni

A composição nutricional da fruta ainda não se encontra inteiramente concluída. Determinados estudos relatam que compostos fenólicos fazem representação da maior fatia de substâncias funcionais encontradas no noni.

A fruta ainda apresenta boas quantidades da vitamina C. Segundo estudo com divulgação em Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial no ano 2014, a análise físico-química do noni maduro teve quantidade média de 243,16 mg da vitamina C, para 100 gramas da polpa. Desta forma, 100 gramas da fruta têm 270% da quantidade de recomendação da vitamina C para um dia.

Os estudos com disponibilidade acerca da fruta ainda não são conclusivos sobre seus efeitos benéficos ou nocivos para vida saudável. Por apresentar substâncias de ação antioxidante há possibilidade de a fruta ser responsável pela proteção das células contra ação prejudicial de radicais livres.

Benefícios do Noni

  • O noni é rico em vitamina C. O ácido ascórbico encontrado na fruta se caracteriza fonte da vitamina C, excelente para tratar inflamações da pele. E, vai estimular produção do colágeno, com envelhecimento precoce retardado. A fruta ainda protege contra bactérias e enfermidades infecciosas, em especial resfriados e gripes.
  • As folhas e frutos fazem tratamento da febre. O noni possui propriedades nutricionais que nunca foram observadas em demais frutas. Trata-se de interessante fonte das proteínas e fibras dietéticas e rica nas vitaminas A, C, potássio e ferro.
  • E além de apresentar vários alcalóides, que auxiliam o organismo para regeneração de células danificadas e aumentar defesas do corpo naturalmente, apresenta ainda substância denominada escopoletina, cuja propriedade mais relevante é ajudar em controlar pressão arterial.
  • Finalmente, é popular por auxiliar em controlar circulação e temperatura do corpo, tendo uso para tratamento da febre nos países como Taiti, Japão e China.
  • O noni é auxiliar em tratar asma. A fruta tem alto teor de asperulósido e acubina, determinados antibióticos naturais. E, se caracteriza rica no betacaroteno, que possui ação antioxidante, e de acordo com estudos, está ligada com diminuição de taxas dos problemas respiratórios, sendo exemplo asma.

Noni e Emagrecimento

Não se pode concluir se a fruta auxilia no emagrecimento ou não. Isto devido a não haver estudos que conseguiram comprovação de tal benefício, como constatado.

É fundamental ressaltar que para perder peso com saúde, é suficiente levar alimentação equilibrada, rica em verduras, legumes, frutas, carnes magras, cereais integrais, e diminuir sal, açúcar, gorduras, consumir menor quantidade de calorias e realizar exercícios físicos com regularidade.

Quantidade Recomendada e Forma de Consumo

Não existe recomendação particular determinada à ingestão da fruta. Em relação à combinação desta fruta, a mesma tem sabor e odor muito fortes, assim, tem sido ingerida com frutas, sendo exemplo limão, maracujá, uva, goiaba, com o único propósito de que seja mais agradável.

Já que estudos disponíveis acerca desta fruta não são conclusivos, ainda não há clareza sobre benefícios vindos dos seus antioxidantes e efeitos prejudiciais associados com sua toxicidade. Assim, é fundamental bastante cuidado ao ingerir noni. É importante lembrar que os produtos derivados de tal fruto apresentam ingestão proibida no país por ANVISA.

Existe restrição na ingestão do noni. As suas propriedades ajudam em tratar várias enfermidades, como determinados tipos de cânceres, problemas respiratórios, de estômago e hipertensão.

No entanto, existem controvérsias, já que determinados artigos científicos fazem comprovação que sua utilização de forma prolongada gera toxicidade hepática. Também fazem restrição da fruta em situações de pacientes que fazem radioterapia ou quimioterapia.

Leia também: Graviola, auxilia no emagrecimento e controle da pressão arterial

Assim, seu consumo e quantidade a ser ingerida devem ter indicação por médico ou nutricionista. Ao consultar um profissional da saúde é possível se orientar de modo seguro em relação ao consumo do noni e de quaisquer outros alimentos.

O noni pode ser ingerido na sua forma natural. A maneira ideal para ingestão se caracteriza a fruta fresca, já que seus nutrientes vão permanecer intactos. Em situações de frutas que já foram embaladas ou dos produtos derivados, é necessário ter atenção com processo pelo qual a fruta teve submissão.

Escolher as frutas que passaram pelo processo denominado liofilização, que evita elementos destrutivos, sendo exemplo ar, luz, calor e umidade no processamento do item.

Polêmica Sobre o Consumo da fruta Noni

O noni é centro da polêmica acerca do seu consumo. Este fruto amarelado, com aroma estranho, sendo que em determinados locais é denominado de fruta do queijo ou fruta do vômito por causa do odor, o sabor é ruim, e não é tão popular no Brasil, mas o contrário pela Ásia e ilhas do Oceano Pacífico.

As maneiras principais da ingestão correspondem ao suco de noni, sementes do fruto assadas, extrato nas cápsulas e chá das folhas, mas os aborígenes da Austrália têm preferência de ingeri-la crua adicionando sal.

Mesmo sendo citado como detentor de mais de 101 aplicações medicinais, como ação antioxidante e antiinflamatória, cura do câncer e melhora do sistema digestivo, o item tem proibição pela Anvisa.

De acordo com o órgão, as informações escassas e estudos toxicológicos com disponibilidade não são suficientes para a ingestão segura. Os testes foram feitos apenas nos ratos.

De acordo com o informe, com a intenção de proteção e promoção da saúde da população, os itens apresentando noni não devem ser vendidos no país como alimento, até que requisitos legais que demandam comprovação da própria segurança de utilização sejam atendidos.

Leia também: Lichia, a fruta que emagrece e tem ação antioxidante

Mesmo com vários sites pela internet fazerem garantia dos benefícios desta fruta, com apresentação de depoimentos de indivíduos cujos males de maneira suposta tiveram regressão com a utilização, a agência aponta situações de efeitos colaterais graves.

Como exemplo, existe suspeita de que o noni desencadeie hepatite e hepatotoxicidade. Juliana Toledo, professora de nutrição, faz explicação que as complicações hepáticas acontecem porque o fígado se caracteriza porta de entrada de toda substância em organismo, com funcionamento como filtro.

Como não existem pesquisas conclusivas, não é possível afirmar com certeza se o motivo do fenômeno se caracteriza a composição nutricional do noni ou consumo em excesso, sendo o recomendado, ao máximo, 30 ml do suco a cada dia. Portanto, quantidade inferior que uma xícara do café.

Confere que há determinados artigos científicos com comprovação de efeitos da fruta. A maioria aparece dos países asiáticos e tem escrita partindo da utilização realizada pelos consumidores regulares, no geral, de forma incrível longevos. É a determinada medicina com base nas evidências.

Porém a população asiática possui estilo de vida inteiramente diverso comparando com a pessoa ocidental, de forma cultural e nutricional. Não é possível fazer atribuição para longevidade apenas ao noni, existem mais fatores associados. Assim, estes estudos não são aceitos como base, de acordo com Juliana.

A fruta apresenta polêmica pela ausência dos estudos conclusivos acerca dos próprios malefícios ou benefícios. Segundo ANVISA, os produtos apresentando noni não podem ter venda como alimentos no país, já que não mostraram comprovação da segurança da utilização.

Vários relatos de situações com publicação nas revistas científicas indexadas fazem sugestão que a ingestão do suco noni está relacionada a situações da toxicidade hepática.

E, um trabalho experimental mostrado em XV Congresso Brasileiro de Toxicologia, fez investigação de possíveis efeitos adversos em relação ao extrato aquoso da fruta de noni, acerca da prenhez e parturição das ratas progenitoras. Os autores fizeram conclusão que a exposição para extrato seco do noni pode gerar efeitos adversos em gestação de tais animais.

Determinados estudos fazem sugestão que substâncias responsáveis por efeitos tóxicos se caracterizariam as antraquinonas. A caracterização inteira do fruto e de seu suco ainda não teve conclusão, a incluir sobre antraquinonas, que antes se acreditava ser encontrada somente nas raízes e folhas de tal planta.

O que dizem os defensores do Noni

Defensores desta fruta afirmam que a mesma é rica na proxeronina, porém não existem testes provando a presença ou função real da substância no corpo. Mais uma alegação se resume que é rica em antioxidantes, substâncias com responsabilidade de fazer combate aos radicais livres, causadores do envelhecimento.

O noni é bastante nutritivo, e apresenta realmente os antioxidantes. A complicação é que os indivíduos pensam que antioxidantes se resumem solução em relação ao envelhecimento.

Os radicais livres vão aparecendo no decorrer da vida, não é muito simples erradicar os mesmos. Não existe comprovação científica de polifenóis que afirmam haver na fruta, de acordo com a nutricionista Juliana Toledo.

Leia também: Goji berry – Conheça o superalimento que emagrece

Juliana afirma que determinados produtos com derivação do noni permanecem sendo vendidos com alegação de que estariam protegidos por Resolução n° 27/2010 da ANVISA, isentando determinados alimentos do registro.

No entanto, fabricantes não são permitidos a rotular as próprias embalagens sem que o órgão saiba, e a fruta tem encaixe como “alimentos com alegações de propriedade funcional e/ou de saúde”, que necessitam do registro.

Os produtos terminam tendo comércio nas feiras e farmácias de maneira ilegal, e o consumidor é enganado, segundo Juliana. Mesmo com a proibição, não é incomum achar produtos derivados da fruta noni para comprar. Em procura rápida pela internet, sites de comércio surgem de primeira página, disponibilizando chás, cápsulas, mudas da planta e sucos.

Leia também

Morosil emagrece? Veja sua composição, relatos e onde comprar

Veja uma resenha completa sobre o emagrecedor Morosil. Como ele atua no corpo, como tomar …

Termogênicos – O que são, Para que serve, se faz mal e como tomar

Saiba como funciona a ação dos termogênicos no organismo. Quais seus benefícios e efeitos colaterais. …

  1. Uma fruta tão saborosa e barrada pela Anvisa #chatiado. Bom… tirando o que é toxico e\ou inócuo disponível na natureza,o restante é muito bom pra todos nós , santos remédios da natureza, e tenho certeza que o noni é uma delas .Sabor exótico e textura macia.Excelente tópico.

  2. willy Nunes de Matos

    Vcs já viram a Anvisa liberar alguma substância que tenha poder curativo e seja barata, dita popular? Se a indústria farmacêutica não tiver lucro, não tem liberação.

    • tem gente que já morre sem a liberação da anvisa. imagina se ela libera.
      para poder liberar ela tem que conhecer o fruto por completo, beneficios e maleficios.
      sou Técnico em Agropecuária e estou começando a estudada-la.

  3. ANATIVA SANTOS MORAIS

    Faço uso do suco do noni adicionado a maçã e abacaxi, sinto me super bem. Uso oito dias seguidos descanso cinco dias e aí volto a usar. Faço isto em uma média de três em três meses. Se a pesquisa for concluída algum dia, por favor mandar e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!