Página Inicial » Dietas e Nutrição » Mecanismos de absorção das proteínas, como isso influencia sua dieta?
Mecanismos de absorção das proteínas

Mecanismos de absorção das proteínas, como isso influencia sua dieta?

Os mecanismos de absorção das proteínas têm uma relação direta com a eficiência de sua dieta. Veja neste artigo, como é este processo e como você pode torná-lo ainda melhor!

Sempre que eu vejo um “especialista” que não é formado, dando dicas de dieta, sempre me pergunto: será que ele tem a mínima noção de biodisponibilidade? Todos os que eu vi, geralmente nem sabem exatamente o que o termo significa.

Nutrição, dieta, é algo muito mais complexo do que muitas pessoas imaginam. Os mecanismos de absorção dos nutrientes, como as proteínas, são a base para que o profissional possa prescrever a dieta de maneira adequada.

Isso porque, não adianta você ingerir proteínas, se estas não são absorvidas da melhor maneira possível. Por isso, é fundamental que você entenda a importância deste processo!

Mecanismos de absorção das proteínas

Primeiramente, não quero ficar me atendo a muitas questões bioquímicas, que interessam apenas para os profissionais da área.

O que quero mostrar, é a forma como o corpo absorve e utiliza as proteínas.

As proteínas, quando ingeridas, não sofrem qualquer processo de absorção pela boca. Elas na verdade, são apenas “quebradas” em partículas menores.

O início do processo de absorção se inicia no estômago. Porém, as proteínas não são absorvidas de maneira inteira, como são ingeridas. Elas são “quebradas” em partes menores, os aminoácidos.

Todo o processo de digestão e absorção das proteínas, acontece com base nos aminoácidos. Estes aminoácidos, estão em uma cadeia. Importante você ler esse artigo: Aminoácidos: O que são, classificação, função, benefícios e como tomar, para tirar todas as dúvidas sobre os aminoácidos.

Porém, a digestão das proteínas no estômago, representa apenas 10 a 20% da absorção total. A maior parcela de absorção das proteínas acontece no intestino delgado, com forte influência do suco pancreático.

Mas de que forma, isso influencia os resultados na musculação?

Como a absorção das proteínas influencia os resultados na musculação?

Basicamente, as proteínas são quebradas em aminoácidos, absorvidas e direcionadas para os tecidos. As proteínas são um nutriente que se enquadra na categoria de construtor. Os aminoácidos absorvidos, substituem estruturas “danificadas” e se adaptam nos tecidos.

Desta maneira, eles são fundamentais para a hipertrofia. Afinal, o treino gera inúmeras microlesões teciduais. São os aminoácidos que ajudam a recompor estes tecidos, aumentando seu tamanho e também, melhorando sua função.

Assim sendo, quanto melhor for a absorção das proteínas, melhor será o processo hipertrófico. Naturalmente, não são apenas as proteínas que participam deste processo. Há inúmeras outras reações e nutrientes que ajudam ou prejudicam este processo.

Neste sentido, quanto melhor a qualidade das proteínas, melhor será o processo de reconstrução muscular. Além da qualidade das proteínas ingeridas, temos também que avaliar as quantidades. Afinal, toda a reconstrução tecidual do corpo, não apenas dos músculos, depende das proteínas.

Por isso, é muito importante que além de boa qualidade, as proteínas sejam ingeridas em quantidades significativas.

Para completar este cenário, há ainda o tempo de absorção das proteínas. Algumas proteínas, tem cadeias de aminoácidos mais simples de serem quebradas. Desta maneira, elas são absorvidas de maneira muito mais rápida.

Outros alimentos ricos em proteínas, tem cadeias de aminoácidos mais complexas. Estas, acabam demorando mais tempo para serem absorvidas.

De maneira isolada, o tempo de absorção maior ou menor, não traz prejuízos para os resultados de seu treino. O que vai influenciar diretamente, é a forma como você as ingere e os demais nutrientes envolvidos na refeição.

Leia também => Como os aminoácidos interferem na questão hormonal?

Usando as proteínas com inteligência

Falar de proteínas sempre é complexo. Há uma infinidade de processos que ajudam, ou prejudicam a sua absorção.

Por isso, é fundamental ter uma boa estratégia. Em determinados momentos, é interessante ingerir proteínas de alto valor biológico e rápida absorção. Falando mais especificamente dos suplementos concentrados de proteínas, um exemplo muito conhecido deste tipo de proteína, é o Whey Protein. Em sua forma hidrolisada, temos a absorção mais rápida do suplemento.

Isso porque, o processo de quebra das cadeias de aminoácidos é muito mais rápido, devido a um processo de hidrólise enzimática que o produto passa em sua fabricação.

De outro lado, temos proteínas como a albumina ou a caseína, que possuem cadeias de aminoácidos muito mais complexas, onde elas acabam demorando muito mais tempo para serem totalmente absorvidas.

Como nosso corpo precisa de diferentes níveis de proteínas durante o dia, é preciso utilizar isso de maneira inteligente.

Por exemplo, quando você utilizar o whey protein hidrolisado, evite ingerir outro nutriente junto. Deixe o corpo primeiramente absorver as proteínas, para depois ofertar outros nutrientes, como os carboidratos.

Além disso, ao ingerir proteínas de rápida absorção, saiba que se elas forem a única fonte, durante algumas horas, seus níveis de aminoácidos circulantes estarão em alta. Em situações onde precisamos evitar o cenário do catabolismo, de maneira rápida, ele é totalmente viável e recomendada.

Por isso, este tipo de suplemento, como o whey protein, é altamente indicado para tomar  no pós-treino. Neste momento, temos um processo conhecido como janela anabólica.

Como o organismo está com baixos níveis de nutrientes, devido ao treino, a absorção se torna mais acentuada.

Do outro lado, as proteínas que tem uma absorção mais lenta. Caseína, albumina e outras, indicadas para tomar antes de dormir. Leia mais sobre elas em seus respectivos artigos, aqui falamos da albumina, e aqui da caseína, a leitura também é muito importante.

Continuando, essas proteínas de lenta absorção devem ser ingeridas em determinados períodos, a fim de otimizar os processos anabólicos. A utilização mais corriqueira delas, é cerca de 30 minutos antes de ir dormir. Como o sono é o momento onde os processos anabólicos mais se acentuam, damos um aporte continuo de aminoácidos para estes.

Da mesma maneira, elas podem ser ingeridas em momentos que você ficará mais tempo sem se alimentar. Desta maneira, você evita o catabolismo muscular.

Conclusão

Tudo isso é estratégia. Usar as proteínas de maneira inteligente é fundamental para que você tenha melhores resultados em seu treino.

Sempre lembrando que nada é mais eficiente para a síntese proteica, do que ingerir proteínas de boa qualidade em diferentes refeições durante o dia. Não podemos esquecer também, de priorizar determinados tipos de carboidratos ao longo do dia, ingerir “gorduras boas”, fibras, vitaminas e outros nutrientes e minerais, através dos vegetais, frutas e legumes.

A suplementação é apenas um complemento e não a prioridade em sua dieta. Sempre falamos aqui e voltamos a repetir, suplemento não é comida. Se você gasta mais dinheiro em um mês com suplementos do que com a sua alimentação, algo está muito errado! Conte sempre com a orientação de um bom profissional. Bons treinos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Send this to a friend