Página Inicial » Saúde » Hipoglicemia, como tratar e como lidar com ela na musculação!

Hipoglicemia, como tratar e como lidar com ela na musculação!

A hipoglicemia é um problema bastante comum e que pode atrapalhar seus treinos de musculação. Veja neste artigo completo como lidar com ela e de que forma evitar maiores problemas!

hipoglicemia

Nosso metabolismo precisa estar em um nível de controle ótimo para que tenhamos melhores resultados com a musculação. Não apenas para que os mecanismos da síntese proteica estejam alinhados, mas também para que seu treino seja efetivo e seguro. Neste sentido, a hipoglicemia é um dos problemas mais comuns e que mais atrapalha o desempenho dos praticantes.

A hipoglicemia pode causar uma série de problemas na qualidade de vida do praticante de musculação, como compromete a saúde e o desempenho. Veja agora o que é de fato a hipoglicemia!

O que é, sintomas e tratamentos da hipoglicemia

De maneira simplória, podemos definir a hipoglicemia como sendo o quadro em que temos uma queda brusca nos níveis de glicose circulante em nosso metabolismo. Como a glicose é o produto mais utilizado para fornecer energia para as mais determinadas atividades de nosso corpo, temos um quadro bastante desfavorável ao metabolismo. Sintomas como tonturas, fadiga, palpitações, desidratações e até convulsões são os mais comuns.

As causadas da hipoglicemia podem ser muitas, mas as mais comuns estão diretamente relacionadas com a diabetes. Pessoas com este quadro clínico podem apresentar quadros frequentes de hipoglicemia, caso não sigam uma rotina adequada.

Esta queda nos níveis de glicose circulante pode ser oriunda ainda de outros pontos, como excesso de treino (ou treinamentos excessivamente longos e extenuantes), falta de alimentação equilibrada, ingestão de bebidas alcoólicas entre outros.

De maneira geral, as origens da hipoglicemia devem ser diagnosticadas por um médico, assim como o tratamento, já que existe um quadro amplo e complexo a ser avaliado. Além disso, é muito importante que você não busque soluções prontas, com dicas em geral, pois a hipoglicemia pode estar escondendo quadros patológicos mais graves.

Leia também: Saiba como os picos de insulina afetam seu corpo e sua saúde e como evitá-los

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Veja agora como é a influência da hipoglicemia na musculação!

Hipoglicemia e musculação, entenda a relação!

Não é difícil de encontrarmos pessoas que se sentem tontas e ofegantes durante o treino de musculação, sem motivos aparentes. Em muitos casos, o problema é justamente a hipoglicemia. Para entender o motivo disso, precisamos compreender alguns outros pontos.

A musculação usa a glicose como principal fonte energética. Desta forma, enquanto você está treinando, seu corpo está usando suas reservas de glicose e glicogênio, que tem as maiores reservas nos músculos e no fígado.

Desta maneira, se a alimentação não estiver alinhada as necessidades que seu treino impõe, é bem possível que você tenha mais chances de ter problemas com a hipoglicemia. Principalmente na questão da ingestão dos carboidratos, que são a base de glicogênio de nosso corpo.

Além disso, existem muitos casos de treinos excessivamente volumosos, que acabam causando quadros de hipoglicemia, por utilização em excesso das reservas de nosso corpo. Para potencializar este quadro, os treinos com volume muito elevado ainda nos trazem o problema do cortisol, que tem sua produção acelerada. Com isso, as chances de termos quadros de hipoglicemia são muito maiores.

Além disso, temos ainda as questões ligadas a genética e ao stress agudo, que podem contribuir com o quadro de hipoglicemia.

Veja agora, como lidar com a hipoglicemia durante a musculação!

Hipoglicemia e musculação, como lidar com este quadro?

Um dos primeiros pontos a serem levados em conta quando os quadros de hipoglicemia aparecem com frequência durante a musculação é encontrar a origem do problema. Aqui, a questão da diabetes é mais complexa e precisa ser tratada de maneira individualizada, conforme já mostramos neste artigo (Diabetes: Musculação e exercícios aeróbicos para diabéticos).

Já nos demais quadros de hipoglicemia, temos alguns cuidados básicos, para que você possa lidar com ela de maneira correte. Veja algumas delas:

1. Tome cuidado com o tempo de treino:
Se você treinar por 30 ou 40 minutos, é muito provável que seu corpo não chegue nem perto de utilizar todas a maior parte de suas reservas de glicogênio. Tanto é que neste tempo de treino, nem há necessidade de usarmos suplementos de carboidratos. Somente treinos com mais de uma hora, sem a suplementação adequada, é que poderemos ter quadros mais graves de hipoglicemia.

Neste sentido, se você tem qualquer quadro de hipoglicemia, tome cuidado com os treinos altamente volumosos, que ultrapassam o tempo de 1 hora. Além de serem pouco efetivos, eles ainda tornam seu quadro mais potencializado.

2. Ajuste o volume e a intensidade:
Outro problema comum em pessoas que tem quadros de hipoglicemia durante a musculação é que seus treinos estão com o controle de cargas falho. Muita intensidade ou muito volume, sema devida preparação, podem causar ou potencializar este quadro. Além disso, erros neste quesito podem potencializar a proteólise, que irá aumentar ainda mais as chances de você ter crises de hipoglicemia.

Outro ponto é que o correto controle das cargas irá fazer com que você desenvolva seu sistema bioenergético de maneira mais segura e tornará os quadros de hipoglicemia cada vez mais raros.

3. Sua dieta é fundamental!
Todos os itens anteriores são importantes, mas nenhum deles sobrepõe a importância da dieta. Além de manter as refeições em intervalos regulares, é muito importante estabelecer um controle adequado na qualidade do que você ingere. Não apenas para ter melhores resultados, mas também para controlar o quadro de utilização da glicose. Alimentos de baixa glicemia são fundamentais para que não haja picos de produção de insulina, que podem agravar o quadro.

Além disso, a alimentação equilibrada irá potencializar a eficiência na utilização da glicose pelas células, o que faz com que os quadros de hipoglicemia se tornem cada vez menos comuns. Outro ponto importante é o consumo frequente de água, que é o catalizador mais importante de nosso corpo e irá melhorar todos os processos bioquímicos. Doces ou qualquer outro tipo de carboidratos simples devem ser evitados, pois eles podem tornar o quadro mais propício a crises.

Leia também: Hipoglicemia Reativa e a Musculação

4. Jamais treine sem alimentar-se adequadamente:
Jamais treine sem uma alimentação adequada em seu pré-treino e após termina-lo, logo ingira algum tipo de alimento com proteína e carboidratos complexos. Isso fará com que haja uma melhora na função celular e na utilização da glicose. Em hipótese alguma treine se estiver há muito tempo sem comer e nem fique muito tempo sem alimentos no pós-treino. Para quem sofre de quadros de hipoglicemia, isso é fundamental!

Veja que é totalmente possível manter a continuidade em seus treinos mesmo tendo crises de hipoglicemia. A musculação ou qualquer outra atividade física, podem até melhorar este quadro. Mas para isso, é muito importante o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar adequada, que irá ajudar você a tomar as medidas adequadas para seu caso. Em hipótese alguma, tome medidas sem o acompanhamento destes profissionais! Bons treinos!

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.
CREF: 22643-G/SC

Leia também

Triptofano: Saiba para que serve, seus benefícios e efeitos colaterais

Além de melhorar a qualidade do sono o triptofano ajuda a reduzir o estresse e …

Leite de Magnésia faz bem para pele? ajuda emagrecer? Veja todos os seus benefícios!

O leite de magnésia ou hidróxido de magnésio é indicado principalmente para tratar da prisão …

  1. Ótima matéria. Obrigada por compartilhar tais informações. Eu tenho episódios de hipoglicemia desde 2012 e não sei exatamente o por que iniciou esses espisódios. Acabei de me formar em nutrição e é o que me ajuda a controlar pois a dieta faz uma grande diferença. No entanto, venho apresentando hipoglicemia durante o treino (faço musculação e intercalo com treinos de corrida). Atualmente fiz alguns exames e a minha A1C deu 6% enquanto que o TOTG foi de glicemia de jejum: 80 e glicemia após 2h de consumo de 75g de glicose: 71.
    Com isso, venho realizando pesquisas de protocolos alimentares e de treino para diminuir a incidência desses episódios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!