Página Inicial » Saúde » Gordura trans – O que é, malefícios e alimentos que devem ser evitados

Gordura trans – O que é, malefícios e alimentos que devem ser evitados

O consumo em excesso de gorduras trans pode baixar a imunidade, aumentar o colesterol, além de estudos recentes apontarem que esse tipo de gordura pode provocar diabetes, doenças coronárias e até câncer.

Gordura trans

O que é

A gordura trans é um tipo de ácido graxo insaturado que possui a configuração trans. Naturalmente é produzida no rúmen dos animais, porém, a principal forma de obtenção é através de gorduras de origem vegetal (óleos) por meio de processos industriais que a transformam em gordura sólida.

Essa gordura é considerada uma das mais maléficas que existem para a saúde. Mas precisamos entender o porquê essa gordura é tão prejudicial e ao mesmo tempo muito consumida, apesar de muitos desconhecerem.

Ela contém uma ou mais duplas ligações entre as suas moléculas de carbono na configuração trans. Essa configuração quer dizer que o ângulo que liga as ligações duplas é menor tornando a estrutura hidrocarbônica mais reta e contínua. Essas características tornam os ácidos graxos trans mais rígidos fazendo com que essa gordura seja mais difícil de ser degradada e tornando-a incomum ao organismo humano. Por isso que ela está associada a problemas de saúde, principalmente os cardiovasculares, podendo entupir os vasos sanguíneos e reduzir o colesterol bom.

Para que é usada

O uso dessa gordura é realizado pela indústria alimentícia única e exclusivamente para obter lucro. Ela fornece ao alimento estabilidade e mais atratividade para ser consumido, além do seu processo de produção ser de baixo custo.

A gordura trans é obtida através do processo de hidrogenação. Nesse processo, são adicionados átomos de hidrogênio às moléculas de gordura vegetal que são líquidas à temperatura ambiente e instáveis. Esse processo acaba transformando a configuração da gordura vegetal de cis para trans, originando a gordura trans que é sólida à temperatura ambiente e mais estável.

A função dessa gordura é dar mais consistência aos alimentos, ou seja, mais crocância e textura e, com isso, conferir mais sabor. Além disso, essa gordura tem como finalidade aumentar o prazo de validade desses alimentos, ou seja, faz com que durarem mais.

Com tudo isso, os alimentos ricos em ácidos graxos trans se tornam mais baratos e com mais praticidade, pois a maioria já vem pronta para o consumo. Só que essa finalidade pode causar sérios prejuízos aos consumidores como veremos mais adiante.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Leia também: Por que gostamos tanto de comer besteira?

Alimentos onde é encontrada e que devem ser evitados

Os alimentos que naturalmente possuem gordura trans são carnes, leite e gordura dos animais ruminantes, porém, é em pequena quantidade e não causa prejuízos à saúde.

Porém, existem outras fontes de dessa gordura que são os alimentos industrializados. Esses alimentos que são os que realmente devem ser evitados são:

  • Biscoitos (todos os tipos, mas principalmente recheado e waffer), bolos, massa de bolo, massa de tortas, chocolates, outros doces e alimentos confeitados;
  • Salgadinhos fritos e de pacote;
  • Batata palha, batata chips e batata frita;
  • Molhos prontos;
  • Maionese, requeijão, creme de leite, cremes vegetais, margarina;
  • Frituras;
  • Sorvetes;
  • Pastelaria;
  • Alimentos industrializados pronto para o consumo: nuggets, pizza, macarrão instantâneo, sopa pronta e vários outros;
  • Alimentos preparados com gordura hidrogenada.

Perigo do consumo em excesso

O consumo de gordura trans não oferece nenhum benefício à saúde, ao contrário, o consumo contínuo e acima do recomendado que é de 2 gramas por dia pode causar prejuízos para a saúde, principalmente relacionado ao sistema cardiovascular como:

  • Aumento do colesterol ruim (LDL) e do colesterol total;
  • Diminuição do colesterol bom (HDL);
  • Entupimento de vasos sanguíneos;
  • Surgimento de doenças cardiovasculares como: hipertensão arterial, aterosclerose (placas de gorduras), infarto, trombose, doença arterial coronária, acidente vascular cerebral (AVC) e várias outras.
  • Enfraquecimento do sistema imunológico;
  • Aumento de atividades inflamatórias no organismo;
  • Organismo mal nutrido;
  • Predisposição para outras doenças como diabetes, obesidade e câncer.

Melhor opção de gordura e os alimentos onde é encontrada

Existem as gorduras ruins como a trans, as gorduras saturadas e outras e as gorduras boas. As gorduras consideradas boas são os ácidos graxos monoinsaturados e os poli-insaturados.

Essas gorduras ajudam a prevenir as doenças cardiovasculares por reduzirem o colesterol ruim e os triglicerídeos e aumentarem o colesterol bom. Porém o consumo dos alimentos fontes de gorduras mono e poli-insaturadas deve ser moderado porque também são alimentos calóricos.

Ácidos graxos monoinsaturados

São um tipo de gordura insaturada que contém apenas uma dupla ligação entre as moléculas de carbono. É uma gordura conhecida também como:

• Ômega 9 ou ácido oleico: é encontrada no  azeite de oliva extravirgem, abacate e oleaginosas como nozes, castanhas, amendoim, amêndoas e avelã.

Ácidos graxos poli-insaturados

São um tipo de gordura insaturada que possuem várias ligações duplas entre as moléculas de carbono. São divididos em 2 tipos:

• Ômega 3 ou ácido linolênico: é essencial para a saúde e só pode ser obtido pela alimentação. As fontes alimentares de ômega 3 são: peixes de águas profundas e frias como salmão, sardinha, atum, cavala, arenque, e truta, frutos do mar, sementes como linhaça e chia e óleos como de linhaça, soja e canola

• Ômega 6 ou ácido linoleico: é encontrado nos óleos de soja, milho, girassol e canola, nas oleaginosas e nos cereais.

Como identificar a gordura trans no rótulo nutricional

Para verificar se um alimento possui ou não essa gordura, basta verificar na informação nutricional que é uma tabela que fica no rótulo nutricional. Nele aparecerá o nome “gordura trans” e a quantidade por porção em gramas.

identificar gordura trans nos rótulos nutricionais

Para enganar o consumidor, às vezes, na informação nutricional aparece que o alimento não possui gorduras trans. Porém, verifique também a lista de ingredientes do alimento. Se ele tiver gordura hidrogenada na composição, também terá ácidos graxos trans.

Informação nutricional gordura vegetal hidrogenada

Uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA – permite uma quantidade de até 0,2 gramas de gordura trans na porção. Porém, nem todo mundo come só uma porção, por exemplo, de biscoito que equivale a 3 biscoitos. Quando você come 2, 3, 4 ou mais porções você acaba ingerindo uma quantidade significativa dessa gordura, mesmo que no rótulo apareça 0% na porção. Na porção esses alimentos podem até ser “livre” dessa gordura porque possuem menos de 0,2 gramas por porção, mas no pacote todo de biscoito possivelmente você encontrará mais de 1 grama de gordura trans. Isso serve para outros alimentos industriais também.

Leia também: Como evitar e combater o colesterol alto

Como controlar o consumo de gordura trans

O melhor a fazer é evitar ao máximo o consumo de alimentos industrializados. Caso você consuma esses alimentos, verifique sempre os rótulos como explicado para ver se tal alimento possui essa gordura.

O ideal é seguir sempre uma alimentação saudável que é livre de gordura trans e é rica em alimentos naturais como frutas, verduras, legumes, carnes magras, leguminosas, sementes, oleaginosas, etc., assim, você garantirá a sua saúde.

Sobre Treino Mestre

Artigos assinados pelo Treino Mestre são escritos pela nossa equipe de profissionais de Educação Física, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Atletas e demais colaboradores ligados a saúde e ao esporte.

Leia também

Triptofano: Saiba para que serve, seus benefícios e efeitos colaterais

Além de melhorar a qualidade do sono o triptofano ajuda a reduzir o estresse e …

Leite de Magnésia faz bem para pele? ajuda emagrecer? Veja todos os seus benefícios!

O leite de magnésia ou hidróxido de magnésio é indicado principalmente para tratar da prisão …

  1. Boa matéria, mas dizer que “Aumento do colesterol ruim (LDL) e do colesterol total;” não passa de uma explicação incompleta. Uma vez que não existe apenas um tipo LDL e sim dois tipos LDL. O LDL do tipo A que por sua vez é o colesterol BOM, provém de gorduras naturais dos alimentos (queijos, abacate, carnes, ovos etc), e o colesterol do tipo B que é o colesterol RUIM provém de ingestão desses tipos de óleos citados na matéria e também dos farináceos, açúcar refinado, carboidratos simples . . . há e margarina becel.
    O grande problema é que médico nenhum informa isso, e nos exames normalmente vem apenas HDL, LDL e Colesterol total. O que devemos observar é o principal marcador do risco de doença cardiovascular – o Triglicérides.
    Aí o “grande médico” olha seu LDL e te enche de estatinas pra baixar seu colesterol LDL “ruim”, e “esquece” de te avisar pra mudar seu estilo de vida e comer comida de verdade e fugir dos industrializados que “tanto querem nosso bem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!