Pesquisar

Colina: Para que serve, 6 Benefícios e Fontes nos Alimentos

Grande aliada do cérebro e do coração, e que ainda ajuda a melhorar o rendimento nos treinos, a colina está presente em uma grande variedade de alimentos. Saiba tudo sobre esse excelente nutriente.

colina

A colina é uma vitamina essencial pertencente ao complexo B. Ela tem duas funções principais no organismo, ambas ligadas ao funcionamento do sistema nervoso central. Ela auxilia na formação de substâncias como a acetilcolina e a esfingomielina.

Existem, além desses, mais uma série de benefícios da colina à saúde, os quais estão relatados no decorrer do artigo. A presença deste nutriente é de fundamental importância para o corpo humano.

O que é Colina

Conforme já descrito acima, a colina faz parte das vitaminas do complexo B. Sua descoberta é relativamente antiga, datando de 1864, pelo cientista Andreas Strecker. No entanto, apenas em 1998 ela foi classificada como nutriente essencial.

O consumo desta vitamina é importante independente da idade. É claro que para um bebê, para um adulto e para um idoso não são indicadas as mesmas doses, mas a colina é fundamental para ambos.

Para que serve

A colina serve principalmente para auxiliar no bom funcionamento do cérebro.

Além disso, porém, ela atua como um auxiliar à saúde do fígado, do coração, dos músculos e de outras partes do corpo.

Uma das serventias mais importantes dela é na formação da acetilcolina. Este neurotransmissor auxilia a cognição, a concentração e a memória, por exemplo. Além disso, atua no sistema cardiovascular, nos tecidos musculares e até na respiração.

Adicionalmente, a colina ainda influencia na formação da esfingomielina.

Esta outra substância é responsável por proteger os nervos, a partir da produção de uma espécie de capa – conhecida por bainha de mielina.

Ela é primordial para que os neurônios enviem as sinapses e impulsos nervosos.

Funções da Colina

Por tudo que temos visto, entende-se que a função da colina pode ser bastante ampla. Ela atua em diversos órgãos e sistemas do corpo humano.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

Ainda assim a origem de toda essa atuação é resumida em duas atuações, como vimos: na acetilcolina e na esfingomielina.

A formação do neurotransmissor (acetilcolina) e do fosfolipídio (esfingomielina) são a base da atuação da colina. A partir disso, ela influencia na saúde de quase todo o corpo.

6 Benefícios

Entende-se, desta forma, que a colina traz uma série de benefícios ao corpo. Eles estão ligados sobretudo à ação da substância no sistema nervoso central.

1. Essencial para a saúde do cérebro

Como demonstramos, esta vitamina funciona no cérebro de dois modos. Num deles, garante a formação da acetilcolina, neurotransmissor capaz de influenciar na cognição e na memória. No outro, produz a esfingomielina, que protege os nervos e ajuda na atuação dos neurônios.

2. Facilita o funcionamento do fígado

Este órgão atua acumulando parte dos triglicerídeos (gordura) que ingerimos diariamente.  

A colina serve como um meio de transporte, que leva estes triglicerídeos para serem utilizados como forma de energia, tirando sobrecarga do fígado.

3. Ideal para as gestantes

Os bebês têm a formação de parte de suas funções cognitivas ainda no útero. Então, para as grávidas, é ideal consumir a colina para proporcionar isto ao feto.

4. Fonte de colágeno

O colágeno é conhecido por fortalecer os tecidos ósseos, por ajudar a produzi-los. Acredita-se que a colina potencializa a formação de colágeno.

5. Auxilia o sistema cardiovascular

No sistema cardiovascular, esta vitamina regulariza a frequência cardíaca.

Assim, combate problemas relacionados à arritmia, por exemplo. Também reduz a presença de homocisteína (substância nociva).

6. Bom para os músculos

A acetilcolina tem como parte de suas atribuições controlar parte dos nutrientes que chegam aos tecidos musculares.

Deste modo, deixa eles fortalecidos e reduz o risco de ocorrência de lesões.

Fontes nos alimentos

Embora hoje em dia existam suplementos de colina disponíveis à venda, esta vitamina pode ser encontrada naturalmente.

Há alimentos que são ricos em colina e que podem auxiliar a suprir a quantidade necessária recomendada. Os principais são:

  • Carnes de porco e de gado em geral;
  • Cereais integrais;
  • Fígado de galinha;
  • Leite e derivados;
  • Mostarda;
  • Ovos;
  • Soja;
  • Vitela.

Como tomar o suplemento de colina e quantidade

A quantidade de suplemento a ser tomada de colina varia muito entre pessoas.

Somente um profissional da medicina ou um nutricionista poderão indicar uma dose exata para cada indivíduo.

Ainda assim, os fabricantes indicam recomendações padrão do quanto deve ser ingerido.

Costumam ser receitadas uma a no máximo duas cápsulas de 550 mg cada por dia.

Para crianças, a dose ideal é de 150 a 375 mg. Para adultos, até 550 mg para homens e até 400 mg para mulheres.

Gestantes e lactantes podem tomar uma dose similar a de homens adultos (até 550 mg).

Caso queira comprar o suplemento de colina, nós indicamos um site de confiança que vende o produto por um preço justo!

Clique no banner abaixo para ter mais informações:

Indicações

Especialmente a quem não faz a ingestão suficiente de alimentos contendo colina, indica-se a suplementação.

A todos os seres humanos, entretanto, é vital a presença desta vitamina para o bom funcionamento do organismo.

Isto significa, em outras palavras, que todo mundo deve fazer a ingestão da colina.

Para maiores informações sobre a dosagem ou real necessidade de suplementação em cada caso, consultar um médico ou um nutricionista é a melhor opção. Ainda assim, a falta de colina é rara.

Leia também:

Levedo de cerveja: Para que serve, 15 Benefícios e Como usar

L-Carnitina: Para que Serve, Se Emagrece e Como tomar

Inositol – O que é, para que serve, benefícios e bula

Alimentação Saudável: O que é, Benefícios e Cardápio

Contraindicações

De modo geral, a colina não é contraindicada a nenhum grupo. Ressalta-se quase exclusivamente um grupo: o das mulheres grávidas.

Embora ele seja essencial também para o bebê, é necessário sempre comunicar o médico nestas condições.

  • Hipersensibilidade a algum componente da fórmula (quando em suplementação);
  • Mulheres grávidas ou em período de lactação (conversar com médico ou nutricionista).

Efeitos colaterais da Colina

Os efeitos colaterais da colina aparecem mais comumente apenas quando ela é consumida de modo excessivo.

Portanto, evite fazê-lo nestas condições, respeitando a dosagem indicada pelo médico ou nutricionista.

  • Náusea ou vômito;
  • Dores de cabeça;
  • Cólicas.

Sobre Equipe Treino Mestre

Artigos assinados pelo Treino Mestre são escritos pela nossa equipe de profissionais de Educação Física, Nutricionistas, Fisioterapeutas, Atletas e demais colaboradores ligados a saúde e ao esporte. Conheça a equipe principal do Treino Mestre clicando aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *