Página Inicial » Dietas e Nutrição » 15 Alimentos ricos em Antioxidantes

15 Alimentos ricos em Antioxidantes

Saiba o que são alimentos antioxidantes, a importância do seu consumo e uma lista com os melhores alimentos.

Alimentos ricos em Antioxidantes

Os alimentos antioxidantes são capazes de manter a saúde, juventude e beleza. A alimentação saudável é fundamental para a própria saúde, e isto não é segredo para ninguém. Já que os nutrientes de necessidade ao desenvolvimento e manutenção ideal das funções vitais têm concentração nas frutas, legumes, carnes, verduras, peixes, ovos e óleos vegetais.

No entanto, o que poucos sabem é que os mesmos ainda favorecem para prevenir várias doenças geradas por ação dos radicais livres que atingem o organismo. E não é acerca somente dos resfriados, infecções e gripes, mas ainda das enfermidades degenerativas sérias, complicações cardiovasculares e até envelhecer precocemente.

Assim, a ação antioxidante dos alimentos em combater tais problemas de saúde é muito superior em comparação com a de vários medicamentos e suplementos disponíveis.

Ação dos Radicais Livres

Antes de mencionar alimentos antioxidantes, é necessário compreender ação dos radicais livres. Todas as células corporais necessitam de abastecimento de modo constante do oxigênio para conversão de nutrientes absorvidos de alimentos na energia.

Mas a queima de oxigênio, ainda denominada de oxidação, faz liberação das moléculas dos radicais livres, que se resumem instáveis e têm um elétron com carga negativa que tem associação de forma rápida às moléculas de cargas positivas, sendo que com estas pode reagir ou ter oxidação.

Tal processo pode prejudicar células saudáveis do corpo, já que o excesso de tais moléculas pode alcançar e prejudicar DNA celular, gerando enfermidades. Suplementos apenas podem ter recomendação na situação do indivíduo se encontrar doente e não ser capaz de obter necessidades diárias dos minerais e vitaminas por meio de refeições.

Porém, células corporais já têm costume de ser bombardeadas por radicais livres, em freqüência de dezenas de vezes diariamente, já que têm enzimas que “arrumam” 99% dos danos gerados por oxidação.

O TEXTO CONTINUA APÓS ESSA PUBLICIDADE!

O conflito ocorre na situação de existirem radicais livres em excesso no organismo. E isto nem toda vez é gerado somente pelas reações químicas, porém ainda pelos fatores exteriores, que também podem favorecer elevação do número destes radicais livres e gerar danos não reparáveis.

São exemplos fumaça do cigarro, álcool, cigarro, substâncias tóxicas encontradas nos alimentos e bebidas, como aditivos químicos e hormônios. Ainda poluição do ambiente e gases com emissão pelos escapamentos dos veículos.

E estresse e ingestão alta das gorduras saturadas, sendo exemplo os alimentos embutidos e frituras, e expor-se aos raios X e para radiação ultravioleta solar.

Conheça os 15 Alimentos Antioxidantes

Na seqüência são apresentados 15 alimentos antioxidantes que auxiliam em solucionar problemas de modo efetivo para acrescentar no cardápio.

1 – Açafrão ou cúrcuma.
A especiaria é recheada de curcuminóides, os compostos de ação anti-idade e anti-inflamatória. 
Cúrcuma se caracteriza raiz e açafrão se caracteriza cúrcuma torrada, no pé. Ao almoçar fora de casa, a dica é levar pote pequeno contendo tempero e salpicar no arroz com feijão.

2 – Aveia.
É fonte de importância do silício, ajuda em estruturar a pele, com aspecto de celulite minimizado. E possui betaglucana, a molécula que otimiza a circulação do sangue e torna difícil absorção da gordura por intestino. E mais, também auxilia para eliminação de toxinas.

Leia também: Aveia: Benefícios no ganho de massa muscular e emagrecimento

3 – Azeite de oliva.
Este alimento é rico em gorduras monoinsaturadas, possui propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Deve ser preferido o tipo extravirgem que apresenta nível de acidez menor a 1%. A indicação é ingerir, ao máximo, 2 colheres de sopa diariamente.

4 – Centelha asiática, dente-de-leão e chá de cavalinha.
A cavalinha possui teor favorável do silício e atua como diurético natural, com organismo desintoxicado e diminuindo então inchaço. Centelha asiática é capaz de estimular circulação do sangue. E o dente-de-leão auxilia para eliminação de toxinas.

5 – Frutas cítricas.
Laranja, goiaba, limão e lima-da-pérsia possuem poderosa vitamina C, e também bioflavonóides, que tornam o tônus das veias maior, contribuindo para microcirculação.

6 – Frutas vermelhas.
As uvas vermelhas, roxas e o morango contêm proantocianidina, substância para fortalecimento de vasos de sangue e linfáticos, com melhora da circulação.

7 – Linhaça.
Este alimento é 
rico em ômega 3, anti-inflamatório natural, ajuda em regulação hormonal. Ainda realiza faxina no interior, pelo alto teor das fibras, favorecendo para que acúmulo das impurezas seja evitado que tornam difícil irrigar e contribuem para celulite.

A dica é carregar de casa linhaça após triturar para que seja salpicada na salada, preferindo bater em liquidificador pouco anteriormente a seguir para trabalho. Isto devido ao fato que sementes oxidam e perdem doses de ômega 3 significativas.

8 – Abacaxi e mamão.
As duas frutas possuem propriedades anti-edema, sem contar enzimas proteolíticas, que auxiliam para digestão das proteínas, que para determinados indivíduos, podem acabar com alergias responsáveis por estímulo da composição dos adipócitos, as células da gordura.

9 – Melão.
O melão é essencial em alcalinizar pH sanguíneo, sendo anti-inflamatório, principalmente se consumido com sementes, com possibilidade de serem trituradas, com garantia de superior fornecimento das fibras.

10 – Óleo de gergelim.
Excelente fonte de vitaminas, especialmente a E, que age como antioxidantes, e desta maneira, fazem proteção de células contra ação de radicais livres. E ainda possui ação anti-inflamatória.

11 – Peixes.
Neste caso é sardinha, arenque, atum e salmão. São grandes fontes do ômega 3, gordura que ainda participa da tropa de choque em relação à osteoporose.

12 – Pepino.
Trata-se de diurético natural, anti-inflamatório, alcalinizante, auxilia para eliminação das toxinas, sendo rico nas vitaminas A e C, sem contar sais minerais.

13 – Sálvia.
Auxilia em regular os hormônios femininos, em especial estrogênio, intimamente associado com celulite.

14 – Semente da abóbora.
Auxilia a transformar pH do sangue mais alcalino, afastando inflamações. A semente de girassol, mais um poderoso antioxidante, pode ter preparo de maneira idêntica.

15 – Suco de uva integral.
Este item é antioxidante e ainda possui ação anti-inflamatória essencial.

Leia também: 12 alimentos que são anti-inflamatórios naturais

Radicais Livres em Excesso

Mesmo sempre os radicais livres levando fama como vilões, estes se caracterizam úteis no corpo, já que são aliados essenciais do sistema imunológico, auxiliando em combate de infecções. O que é necessário notar é que o excesso dos mesmos prejudica a vida saudável.

Quanto maior o período que um indivíduo permanece exposto com fatores externos já citados, superior é o número dos radicais livres que o mesmo terá acumulado. A conseqüência pode ser o surgimento das células cancerígenas.

Porém, não se trata apenas disso. O sistema imunológico permanece enfraquecido, o organismo vai envelhecer de modo mais veloz, a pele tem risco de ficar manchada ou ter rugas precoces.

Até enfermidades como artrite, arteriosclerose, enfisemas, catarata, reumatismo, acidentes vasculares cerebrais, doença de Parkinson e mal de Alzheimer também seguem sendo associadas com alto número destes radicais no corpo.

Recurso ideal representado pelos alimentos

Para combate de todos os efeitos nocivos, surgem em ação os antioxidantes, as moléculas com carga positiva para anular ação da oxidação de radicais livres.

E os mesmos se encontram mais em alcance do que se pensa, em alimentos. Estudos apontam que o consumo rico em legumes, vegetais, frutas, cereais e hortaliças fazem garantia de proteção favorável em relação aos radicais livres e também diminuem de modo considerável a possibilidade do envelhecimento precoce e também de muitas enfermidades.

Para encontrar tais substâncias:

– Vitamina A: batata doce, brócolis, abóbora, damasco seco, cenoura e melão.

– Vitamina C: vegetais verdes e frutas cítricas, sendo exemplo brócolis, caju, acerola, kiwi, laranja, couve, limão, lima, tomate e morango.

– Vitamina E: a fonte de maior importância se caracteriza gérmen de trigo, porém ainda pode ser achada nas gemas, amêndoas, em legumes, castanhas-do-pará, óleos de algodão, vegetais folhosos, milho, soja, arroz e girassol.

– Bioflavonoides: uvas vermelhas ou escuras e frutas cítricas.

– Catequinas: morango, uva, chá verde.

– Isoflavonas: em especial na soja.

– Licopeno: em especial no tomate.

– Selênio: carnes, frutos do mar, aves, castanha-do-pará e fígado.

– Zinco: carnes, cereais integrais, feijões, aves, leite, nozes e frutos do mar.

A alimentação antioxidante faz garantia de grandes resultados, porém, tais nutrientes sós não realizam milagres. É necessário, ainda, evitar contato em relação aos fatores exteriores que elevem o número dos radicais livres no corpo.

A ingestão diária de tais alimentos tem liberação. Os mesmos podem e devem integrar o dia a dia da dieta diversificada e balanceada, favorecendo a promover a saúde.

Uso de cápsulas e pílulas em suplementos

A impressão é que é bem mais prático consumir suplementos alimentares nas cápsulas e pílulas, em comparação à ida para supermercado para adquirir itens frescos.

A questão é que antioxidantes sintéticos não são tão aprovados entre comunidades médica e científica. Desde os anos 1980 vêm sendo feitos, no país norte-americano, estudos que apontam que os mesmos não possuem idênticos resultados em relação à alimentação natural.

Um dos resultados apontados por pesquisadores indica que determinados suplementos apresentariam digestão muito veloz para produzir efeito em organismo, o inverso de alimentos naturais.

Mais estudos apontam que indivíduos que ingeriram doses diárias dos minerais e vitaminas durante mais de uma década não apresentaram melhor saúde e não viveram por mais tempo em comparação com os que não utilizavam tais suplementos.

O que se conclui está claro, apenas porque o alimento apresentando certo composto é favorável à saúde, não quer dizer que a cápsula possuindo o mesmo composto apresente o efeito idêntico.

Mais um risco acerca de suplementos antioxidantes tem a ver com posologia. Ao consumir em excesso, determinados nutrientes podem possuir efeito oposto, com oxidação aumentada. Para entender, as doses altas da vitamina E, podem fazer interferência em coagulação do sangue e ainda elevar chance da hemorragia.

Suplementos apenas podem ter recomendação quando o indivíduo se encontrar doente e não for capaz de atingir as necessidades diariamente dos minerais e vitaminas por meio de refeições.

A suplementação apenas deve ser realizada se tiver recomendação pelo médico, e mesmo assim, só em situações especiais. O ideal, com certeza, é esforçar-se na alimentação e priorizar a boa qualidade de vida.

Sobre Sandro Lenzi

Educador físico apaixonado pelo desenvolvimento humano. Atuo como produtor de conteúdo, personal trainer e com consultoria online.
CREF: 22643-G/SC

Leia também

O que avaliar ao procurar um nutricionista esportivo?

O nutricionista esportivo é um profissional fundamental para que você tenha melhores resultados em seu …

Recuperação muscular, 10 dicas para otimizá-la e ter melhores resultados!

A recuperação muscular é fundamental para que a hipertrofia aconteça e você tenha os resultados …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curta-nos no Facebook!